Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ex-Presidente da Gâmbia deixa o país e põe fim a crise política 

Andrew Burton/GETTY

Yahya Jammeh, que esteve 22 anos no poder após um golpe de Estado, deslocou-se este sábado para um destino desconhecido

Yahya Jammeh, líder da Gâmbia por 22 anos, deixou este sábado o país, depois de declarar que iria ceder o poder ao presidente Adama Barrow, pondo fim a uma crise política que teve início após as eleições.

Um jornalista da agência de notícias France Presse (AFP) na Gâmbia viu Yahya Jammeh a deslocar-se num avião não identificado para um destino não especificado. À partida assistiram também uma delegação de dignitários e soldados, bem como um pequeno grupo de apoiantes.

Jammeh estava acompanhado pelo presidente da Guiné Alpha Conde, que nas últimas 48 horas negociou um plano de saída do país para o ex-líder da Gâmbia, cujos detalhes ainda não foram tornados públicos.

Numa mensagem transmitida este sábado na televisão estatal, o ex-presidente da Gâmbia anunciou que tinha decidido deixar a liderança do país.

"Decidi hoje, em consciência, deixar a liderança desta grande nação", afirmou Jammeh, manifestando a sua "infinita gratidão" para com o povo.

Yahya Jammeh garantiu que a decisão -após semanas de impasse - foi apenas sua, apesar da imensa pressão exercida por parte de líderes regionais para ceder o poder a Adama Barrow, que venceu as eleições presidenciais de 1 de dezembro.

Jammeh, que esteve 22 anos no poder, a que acedeu através de um golpe de Estado, propôs-se a abandonar a presidência do país logo após a vitória eleitoral do adversário, Adama Barrow, mas depois mudou de ideias.

Inicialmente, aceitou a derrota no escrutínio de 01 de dezembro e felicitou publicamente o vencedor, Adama Barrow, candidato da oposição coligada, mas depois viria a ordenar ao exército que invadisse a sede da comissão eleitoral e contestando os resultados eleitorais junto do Supremo Tribunal.