Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Presidente do Brasil lamenta morte de juiz da Lava Jato e decreta três dias de luto oficial

reuters

Michel Temer diz ter recebido a notícia com “profundo pesar” e elogia Teori Zavascki, como “um homem de bem e um orgulho para todos os brasileiros”

O Presidente do Brasil lamentou esta quinta-feira, em Brasília, a morte do juiz do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki num acidente aéreo em Paraty, no Rio de Janeiro e decretou um luto oficial de três dias.

"Recebemos com profundo pesar a notícia da morte do ministro (denominação dada aos juízes do STF) Teori Zavascki. Associo-me a todos os brasileiros ao lamentar a perda de um homem público cuja trajetória impecável a favor do direito e da Justiça sempre o distinguiram", disse Michel Temer.

O Presidente brasileiro acrescentou que Teori Zavascki era "um homem de bem e um orgulho para todos os brasileiros".

Este juiz era o relator dos processos no STF da operação Lava Jato, que investiga os crimes de corrupção na empresa estatal Petrobras e que tem entre os vários arguidos o antigo Presidente da República Lula da Silva e antigo presidente do Senado, Renan Calheiros.

Teori Zavascki foi considerado uma figura central nestas investigações de corrupção, já que tinha a responsabilidade de homologar as delações premiadas (fornecimento de informações importantes em troca da diminuição da pena) fornecidas pelos envolvidos nos processos no STF.

Antes do acidente, o juiz trabalhava nas informações colhidas em delações premiadas de mais de 70 quadros de topo da construtora Odebrecht, consideradas cruciais já que informações vazadas à imprensa sobre as revelações já envolveram o próprio Michel Temer, o ex-Presidente Lula da Silva e dezenas de políticos brasileiros.

A aeronave em que o Teori Zavascki viajava, prefixo PR-SOM, havia saído hoje do Campo de Marte, em São Paulo, às 13:01 (15:01 em Lisboa) e o destino era Paraty, no Rio de Janeiro.

O Corpo de bombeiros de Paraty confirmou que avistou três passageiros mortos dentro do avião submerso.

Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), a aeronave estava com a documentação em dia.