Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Obama na carta de despedida: “Fizeram de mim um homem melhor”

ERIK S. LESSER

O já quase ex-Presidente dos EUA partilhou no Facebook a missiva que deixa ao seu sucessor. Nela o maior elogio vai para o povo norte-americano, fonte de “bondade e resiliência”, onde diz ter ido buscar “força” ao longo dos oito anos de mandato

Em forma de carta, Barack Obama cumpriu mais uma despedida, desta vez dirigindo-se, sobretudo, ao povo norte-americano. Fê-lo através do Facebook, e com um agradecimento, tanto “pela honra de servir” o país, como pelo que aprendeu: “Fizeram de mim um melhor presidente, e um homem melhor”, escreveu.

Ao cumprir a “longa tradição” de deixar uma carta para o Presidente que se segue, Obama aproveita para passar em revista os oito anos no cargo, dizendo que foi buscar força à “bondade e resiliência” dos norte-americanos. Lembra o dia em que tomou posse e afirmou que “os desafios que enfrentávamos não seriam solucionados em pouco tempo, mas que seriam solucionados”. Faz, depois, o balanço, concluindo que “nós conseguimos, graças a vocês”.

Desse balanço consta a recuperação económica dos EUA e dos empregos, menciona ainda, entre outras questões, a reforma da saúde, a diminuição do número de soldados nos cenários de guerra, a morte de Osama bin Laden e a reaproximação com Cuba.
“Eu vi-vos, povo americano, em toda a vossa decência, determinação, bom humor e gentileza. E nos vossos atos diários de cidadania, vi o desenrolar do nosso futuro”, continua Obama.

Na véspera de deixar o lugar de Presidente, Obama apela a que todos, “independentemente do partido” se empenhem no bem coletivo, “não apenas quando há eleições e não apenas quando o nosso próprio interesse está em jogo”.

No final, fica a promessa - “Eu vou estar convosco a cada passo do caminho” - e uma espécie de ‘lembrete‘, a ter em conta pelo seu sucessor.

“Quando a marcha do progresso parecer lenta, lembrem-se: a América não é o projeto de uma única pessoa. A palavra mais poderosa da nossa democracia é a palavra ‘nós’, escreve Obama, “‘ nós, o povo’, ‘nós vamos vencer’.

A fechar, o seu lema de sempre: “Sim, podemos”.