Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Avalanche em Itália: resgate dificultado por risco de colapso do hotel. Não há sinal de sobreviventes

A imagem extraída de um vídeo mostra o interior do hotel

REUTERS

Cerca de 30 pessoas podem ter morrido soterradas dentro do hotel, de uma estância de esqui em Itália, apanhado por uma avalanche. “Não temos conseguido fazer muito. O que resta do hotel está em risco de colapsar”, refere um dos membros da equipa de resgate. Até agora só foram salvas duas pessoas que se encontravam no exterior

“O hotel está quase totalmente destruído. Chamamos as pessoas mas não se ouve qualquer resposta ou vozes. Continuamos a escavar para tentar encontrar sobreviventes”, refere Antonio Crocetta, membro de uma equipa de montanha envolvida nas operações de salvamento das cerca de 30 pessoas que se pensa estarem dentro do Hotel Rigopiano, numa estância de esqui na região italiana de Abruzzo, soterrado por uma avalanche.

“Nós não temos conseguido fazer muito”, acrescentou nas declarações prestadas por telefone à agência Reuters. “O que resta do hotel está em risco de colapso”.

Três corpos sem vida foram retirados, segundo indicou entretanto o “Corriere Della Sera”.

O hotel de três andares ficou soterrado, ao final do dia de quarta-feira, apanhado por avalanche que ocorreu em sequência dos quatro fortes sismos que horas antes haviam voltado a abalar o centro de Itália.

As únicas duas pessoas que foram salvas até agora encontravam-se no exterior.

Um hóspede conseguiu escapar porque tinha saído para ir ao carro quando ocorreu a avalanche. Giampaolo Parete, de 38 anos, conseguiu depois permanecer refugiado dentro da viatura que não foi atingida. O sobrevivente indicou aos membros da equipa médica que a sua mulher e os dois filhos do casal estavam no interior do hotel de quatro estrelas.

As equipas de resgate conseguiram chegar ao local, de esqui, cerca das 4h30, após terem lidado com muita neve, vento e árvores caídas. Foram mobilizados 20 bombeiros, duas equipas de resgate de montanha, seis ambulâncias e elementos da polícia local, mas a neve que chega a atingir os dois metros de altura está a impossibilitar os acessos por estrada.

Uma base das equipas de salvamento foi montada em Penne, cidade situada a 10 quilómetros de distância, onde se encontram as ambulâncias que aguardam que as viaturas limpa-neves desimpeçam a estrada de acesso ao hotel.

“Nós estamos a fazer descer as unidades de resgate de um helicóptero e elas estão a começar a escavar”, referira anteriormente Luca Cari, porta-voz das brigadas nacionais de bombeiros.