Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Três sismos abalam centro de Itália

Alunos permanecem na rua em Roma, após a sua escola ter sido evacuada

ALESSANDRO BIANCHI/REUTERS

Os abalos foram sentidos em Roma assim como em Amatrice, a cidade que no ano passado foi atingida por um sismo de consequência trágicas. As informações existentes não indicam vítimas

Três sismos abalaram o centro de Itália, esta quarta-feira de manhã, com magnitudes de 5,3, 5,7 e 5,3 (pela ordem de ocorrência). Não há para já informações de vítimas ou de danos materiais.

O primeiro abalo foi sentido às 10h25 em Roma e em Amatrice, a cidade que fora afetada em agosto do ano passado por um forte sismo que causou 300 mortos. O segundo abalo desta quarta-feira, ocorreu cerca de cinquenta minutos depois e o teceiro dez minutos depois.

Os tremores de terra foram “sentidos até Roma (mas) parece não haver vítimas”, referiu o recém-eleito presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani.

Edifcios em Roma tremeram e o metro foi encerrado como medida de precaução, assim como as escolas.

O epicentro teve lugar a cerca de 100 quilómetros do nordeste de Roma.

Habitantes das zonas mais afetadas saíram para as ruas. “Está toda a gente na rua” apesar de “estar muito frio e ventoso”, relatou Lina Mecantini, de Ceselli, aldeia da região de Umbria, situada a cerca de 80 quilómetros de distância do epicentro. “É totalmente exasperante. Isto nunca mais acaba. Nós estamos todos a tremer”, acrescentou nas declarações citadas pela agência Reuters.

Desde agosto no ano passado a região foi afetada por 45 mil réplicas, entre as quais um sismo de magnitude 6,6 em outubro.

Os recentes abalos levaram a mudanças de terreno numa área de mais de 600 quilómetros quadrados, junto do epicentro chegou a registar-se uma descida do nível dos terrenos de até 70 centímetros.