Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump acredita que mais países sairão da União Europeia

getty

Numa entrevista ao jornal britânico “The Sunday Times” e ao alemão “Bild”, o Presidente-eleito dos EUA diz ainda que o Brexit vai ser uma “coisa boa” e que Merkel fez mal em aceitar os refugiados

Ana Baptista

Ana Baptista

Jornalista

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, acredita que haverá mais países a deixar a União Europeia (UE), tal como o Reino Unido decidiu fazer num referendo realizado em julho de 2016.

“As pessoas, os países querem a sua própria identidade e o Reino Unido quis a sua própia identidade", disse em entrevista ao jornal britânico Sunday Times e ao alemão Bild. E acrescentou: "O Reino Unido foi tão esperto em sair da UE". Aliás, diz mesmo que "vai ser uma coisa boa" para o país.

Para Trump, foi a crise dos refugiados que originou esta onda de insastifalão dos países e esta procura por uma identidade prórpria. "Se não fossem forçados a receber tantos refugiados, não teria havido Brexit", comentou.

Segundo o Presidente-eleito dos EUA, que toma posse na sexta-feira 20 de janeiro, aceitar os refugiados foi o grande erro da Europa e principalmente da Alemanha que diz ser o motor principal da Europa. "Se olharmos para a UE, é a Alemanha, é basicamente um veículo para a Alemanha", comentou.

E por iso é diz que aceitar os refugiados foi um "grande erro" da chanceler alemã Angela Merkel, que ele considera "de longe a mais importante líder europeia".

"Penso que ela comenteu um erro catastrófico que foi aceitar todos esses ilegais, todas essas pessoas que não se sabe sequer de onde vêem", disse. Contudo, reparou, "as pessoas cometem erros".

Na entrevista, Donald Trump referiu ainda que a NATO está "obsoleta" porque foi "criada há muitos, muitos anos e porque os países não estão a pagar o que deveriam pagar".

Disse ainda que deve haver uma redução substancial do arsenal de armas nucleares da Rússia e que isso pode ser conseguido se fore negociado com eles o levantar das sanções impostas recentemente pela administração de Obama. “Há sanções impostas à Rússia. Vamos ver se podemos chegar a bons acordos com eles. Por exemplo, penso que as armas nucleares deviam ser reduzidas substancialmente", disse.

E apesar das boas relações que parece ter agora com a Rússia, Trump foi muito crítico da intervenção de Putin na Síria. Foi "uma coisa muito má" que levou a "uma terrível situação humanitária".

E por falar em política externa, Trump foi extremamentre crítico da intervenção dos EUA no Iraque e até a descreveu como sendo "possivelmente a pior decisão alguma vez feita na história do país". Disse mesmo que foi como "atirar pedras a uma colmeia".

Outro tema, também relacionado com a política externa, diz respeito ao reforço das fronteiras norte-americanas, o que pode mesmo levar à existência de mais restrições para os Europeus que viajam para os EUA. Mas o foco são mesmo os cidadãos originários dos países islâmicos, cuja entrada será "extremamente escrutinada".