Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Angela Merkel para Trump: “Europeus são donos do seu próprio destino”

OLIVER WEIKEN/EPA

A resposta da chanceler alemã vem no seguimento de uma entrevista de Donald Trump, em que o Presidente eleito dos EUA a acusa de ter cometido “um erro catastrófico” ao abrir as fronteiras germânicas aos refugiados, associando esta política ao aumento recente do terrorismo no país

A chanceler alemã Angela Merkel escusou-se esta segunda-feira a comentar as críticas do Presidente eleito dos EUA, Donald Trump, às suas políticas relativas aos refugiados, NATO e UE, mas sublinhou que "os europeus são donos do seu próprio destino".

Numa conferência de imprensa em Berlim, após um encontro com o seu homólogo neozelandês, Bill English, Angela Merkel deixou claro que Donald Trump ainda não é Presidente dos Estados Unidos, e que, após a sua investidura, na próxima sexta-feira, as duas capitais irão manter a cooperação bilateral.

"Quando Trump tomar posse do seu cargo, o que ainda não é o caso, iremos naturalmente trabalhar com o novo Governo norte-americano. Nessa altura veremos que acordos conseguiremos alcançar", assinalou a chanceler alemã.

Em entrevista aos diários britânico The Times e alemão Bild, Trump qualificou a NATO como uma organização obsoleta, censurando os Estados-membros por não pagarem a sua parte na defesa comum e se 'encostarem' aos Estados Unidos; e considerou ainda que o Reino Unido "teve razão" em sair da União Europeia ('Brexit'), acrescentando que outros países vão deixar a UE.

Perante as críticas de Trump ao acolhimento de refugiados e do aumento do terrorismo na Alemanha, Angela Merkel fez questão de "separar" o problema do terrorismo da questão dos refugiados, e da relação desta com a guerra na Síria, sublinhando que "a maioria dos sírios", fugiu da "guerra civil, dos combates com [o regime do Presidente Bashar] al-Assad e a repressão de Assad".

O terrorismo, sublinhou ainda a chanceler, golpeou vários países, designadamente, "França, Bélgica, Reino Unido, Espanha e agora a Alemanha" e enfrentá-lo é "uma tarefa global", afirmou.

Quando interrogada sobre o apoio de Trump à decisão do Reino Unido abandonar a UE e da previsão que outras capitais seguirão o exemplo de Londres, Merkel declarou que "os europeus são donos do seu próprio destino", e acrescentou: "vou continuar empenhada em que os 27 Estados-membros trabalhem em conjunto em relação ao seu futuro (...) face aos desafios do século XXI".

Sobre as críticas de Trump à NATO, Merkel apenas disse que as suas posições "são conhecidas". "O presidente eleito mais uma vez expôs as suas. Quando Trump tomar posse do seu cargo, o que ainda não é o caso, iremos naturalmente trabalhar com o novo Governo norte-americano. Nessa altura veremos que acordos conseguiremos alcançar".