Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Pontapés a refugiados punidos com três anos de pena suspensa

MARKO DJURICA / REUTERS

Jornalista húngara que em setembro de 2015 agrediu refugiados junto à fronteira com a Sérvia foi condenada esta quinta-feira a três anos de prisão, mas vai ficar em liberdade condicional

A jornalista húngara Petra Laszlo, filmada em 2015 a pontapear e rasteirar vários refugiados que fugiam da polícia próximo da fronteira com a Sérvia, foi esta quinta-feira condenada a três anos, com pena suspensa, por vandalismo.

O juíz considerou que o comportamento da repórter de imagem provocou justa indignação e cólera, por ser contrário às normas da sociedade, rejeitando o argumento da defesa, que alegou que Petra apenas se tentava se tentou proteger, dada a confusão entre imigrantes e agentes da polícia.

A acusação sublinhou, no entanto, não ser demonstrável que “a origem das vítimas ou o facto de se tratar de imigrantes” tenha sido o que motivou a atitude agressiva da jornalista.

Nas imagens que correram mundo vê-se a jornalista a rasteirar um homem que corria com uma criança ao colo e também a pontapear uma outra criança que fugia.

A mulher foi despedida na sequência do incidente. Trabalhava na N1TV, um canal de televisão online, proporiedade do partido de extrema direita ultranacionalista húngaro Jobbik.

Durante o julgamento, Petra Laszlo chorou e disse ter recebido várias ameaças de morte desde o episódio. Afirmou ainda ser vítima de uma campanha de ódio e voltou a lamentar as agressões.

A jornalista vai recorrer da condenação.

(Notícia atualizada às 11h17)