Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Obama surpreende Joe Biden com Medalha da Liberdade. E houve lágrimas

NICHOLAS KAMM

Vice-presidente de saída emocionou-se com a mais alta distinção civil dos EUA, até hoje apenas atribuída a três outras pessoas: o Papa João Paulo II, ao antigo Presidente Ronald Reagan e ao antigo secretário de Estado da administração Bush Colin Powell

Numa cerimónia realizada na Casa Branca esta quinta-feira à noite, Barack Obama surpreendeu o seu vice-presidente Joe Biden com a mais alta distinção civil dos Estados Unidos, a Medalha da Liberdade, até hoje apenas atribuída pelos seus antecessores a três personalidades – o Papa João Paulo II, o antigo Presidente Ronald Reagan e o antigo secretário de Estado Colin Powell.

Num discurso de 40 minutos, Obama elogiou o homem que foi o seu número dois no governo durante oito anos pela "fé nos conterrâneos americanos, o amor ao país e uma vida dedicada ao seu serviço". A medalha foi entregue a Biden a apenas oito dias de os dois homens abandonarem a Casa Branca e passarem o testemunho ao Presidente eleito Donald Trump e ao seu vice-presidente Mike Pence, que tomam posse a 20 de janeiro.

Biden já prometeu que vai continuar na política dentro do Partido Democrata. Visivelmente emocionado enquanto ouvia Obama elogiar o que disse ser "a melhor escolha possível, não apenas para mim mas para o povo americano", Biden declarou que está feliz por ter feito "parte da viagem de um homem notável que fez coisas notáveis".

O Presidente não perdeu a oportunidade para brincar com o 'bromance' (junção de 'brothers' (irmãos) e 'romance', uma expressão moderna para definir a relação de amizade estreita entre dois homens) entre os dois, objeto de inúmeros vídeos e memes na internet ao longo destes dois mandatos.

"Não suspeitava minimamente [que ia receber a medalha]", disse o vice-presidente aos presentes. "Pensei que estávamos a vir ter com a Michelle para ela, a Jill, o Barack, eu e mais uns quantos altos funcionários [da Casa Branca] brindarmos uns aos outros e a estra incrível viagem. Sr. Presidente, acertou na parte sobre eu me apoiar na Jill, mas também me apoiei em si e em muitas pessoas nesta sala. Estou endividado pela sua amizade. Estou endividado para com a sua família."