Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Comissão Europeia preocupada com alegações de emissões poluentes da Fiat nos EUA

FRANCOIS LENOIR/Reuters

A Agência de Proteção Ambiental dos EUA, responsável pela fiscalização no setor automóvel, acusou o grupo Fiat-Chrysler de manipulação de 104 mil veículos com motores diesel, com o objetivo de alterar o nível real das emissões poluentes

A Comissão Europeia qualificou esta sexta-feira como "preocupantes" as alegações da Agência de Proteção Ambiental dos EUA sobre as emissões de gases poluentes de alguns veículos do grupo italo-norte-americano Fiat Chrysler Automobiles.

"As alegações são preocupantes e agora vamos trabalhar com a EPA (sigla da agência em inglês) e as autoridades dos Estados membros e, naturalmente, a FIAT, para apurar os factos e as possíveis implicações para os veículos vendidos na UE", disse à impressa a porta-voz da Comissão, Lucía Caudet.

A EPA enviou à multinacional fabricante de automóveis uma "aviso" em que referia "supostas violações da Lei do Ar Limpo por ter instalado, sem o comunicar, um 'software' de tratamento de motores em cerca de 104 mil automóveis".

A porta-voz da Comissão especificou que "por agora" não se trata de uma acusação de fraude, mas sim de uma comunicação das autoridades norte-americanas à Fiat por não fazer "uma descrição completa da estratégia de controlo de emissões no processo de certificação" sobre certos veículos particulares e camiões do construtor.