Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Alemãs vão poder processar patrões que paguem melhor aos homens

“A determinação dos salários deixa de ser uma caixa negra”, afirmou a ministra Manuela Schwesig

Adam Berry/GETTY

Caso seja aprovado o projeto de lei apresentado esta quarta-feira pelo Governo germânico, as empresas vão passar a ter de fornecer os critérios que determinam os diferentes salários não podendo existir diferenças salariais não justificáveis entre homens e mulheres

O Governo alemão avançou esta quarta-feira com um projeto de lei destinado a assegurar que homens e mulheres recebem pagamento igual para trabalhos equivalentes.

“A determinação dos salários deixa de ser uma caixa negra”, afirmou a ministra para Assuntos das Famílias, Cidadãos Idosos, Mulheres e Jovens, Manuela Schwesig.

A proposta de lei estabelece que as empresas com 200 ou mais funcionários passem a ser obrigadas a fornecer os critérios que determinam os diferentes salários, podendo ser processadas por não conseguirem justificar salários desiguais entre homens e mulheres. As empresas com 500 ou mais funcionários serão mesmo obrigadas a prestar informações regulares sobre os seus esforços para a igualdade de pagamentos.

Em média, os homens ganham mais 21% do que as mulheres na Alemanha, mas essa diferença desce para 7% quando são comparados homens e mulheres com o mesmo tipo de qualificações e trabalhos.