Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

México volta a dizer que não paga muro de Trump “de maneira nenhuma”

SASHENKA GUTIERREZ/EPA

Ana Baptista

Ana Baptista

Jornalista

O ministro dos Negócios Estrangeiros do México, Luis Videgaray, voltou a dizer, agora esta terça-feira, que o México não vai mesmo pagar pelo muro que o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, quer fazer na fronteira dos dois países para controlar a imigração ilegal. "Isso não vai acontecer de maneira nenhuma", disse à televisão mexicana, citado pela Reuters.

E acrescentou: "Não vai acontecer em circunstância nenhuma.. Nem com um melhor negócio, investimento ou apoio faríamos algo que iria violar a dignidade dos mexicanos".

Estas declarações surgem depois de na sexta-feira Trump ter esclarecido que, apesar do congresso norte-americano estar já à procura de financiamento para construir o muro, que ele será mesmo pago pelo México.

Num comentário no Twitter, o presidente eleito, que tome posse dentro de 10 dias, a 20 de janeiro, escreveu que mesmo que os EUA paguem o muro - e que isso só aconteceria para acelerar o processo -, o México vai reembolsá-los.

A intenção de construir este muro - ou uma grande muralha (Great Wall), como o próprio Trump lhe chama em alusão à Muralha da China - foi uma das principais bandeiras da campanha eleitoral, mas poucos acreditaram que seria real.

Foi só quando Trump deu a sua primeira entrevista à CBS que confirmou que, de facto, ia mesmo fazer um muro ou, em algumas zonas, uma vedação, mas que ia mesmo avançar com essa medida e outras para controlar a imigração ilegal, como deportar cerca de dois mil imigrantes ilegais, começando por aqueles com antecendentes criminais.