Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Dona de abrigo de animais detida pela morte de centenas de cães e gatos em Espanha

A responsável pelo abrigo de animais e um funcionário cúmplice exterminaram 2183 animais entre janeiro de 2009 e outubro de 2010

O tribunal espanhol de Málaga condenou Carmen Marín Aguilar, proprietária do abrigo de animais “Parque Animal” em Torremolinos, com uma pena de três anos e nove meses de prisão pela morte de centenas de cães e gatos saudáveis, de uma forma que provocou “agonia prolongada” nos animais.

Aguilar, de 72 anos, foi ainda condenada a pagar 19.800 euros, depois de ser tida como culpada de crueldade para com os animais e falsificação de documentos.

O funcionário do abrigo Felipe Barco Gómez, de 55 anos, foi condenado com pena de um ano de prisão e uma multa de 3.600 euros por ser cúmplice do crime.

De acordo com o tribunal, citado pelo jornal “The Guardian”, Aguilar injetava animais saudáveis de diferentes raças, principalmente cães e gatos, com drogas eutanásicas sem sedação, enquanto Gómez os segurava.

Aguilar administrava doses inferiores ao recomendado, que aliado à injeção no tecido muscular em vez de ser por via intravenosa, provocava no animal “uma morte lenta, com uma agonia prolongada e dolorosa”, lia-se na sentença do tribunal.

O tribunal acredita que este par matava os animais para reduzir custos e criar espaço para atividades lucrativas do centro, como uma clínica veterinária privada.

Aguilar e Gómez negaram a morte dos animais. Aguilar disse em tribunal que adorava animais e que nunca os poderia ter injetado por ter fobia de agulhas. “Eu nem me atrevo a cortar-lhes as unhas sequer”, disse a proprietária.