Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Meryl Streep vs Donald Trump. O mais recente confronto do Presidente eleito dos EUA

HANDOUT via Reuters

No discurso que fez na cerimónia dos Globos de Ouro, no domingo à noite, a atriz serviu-se do cinema e das várias e origens dos atores para fazer um paralelismo e criticar alguns atos do Presidente eleito dos Estados Unidos. Trump respondeu logo de manhã, via Twitter, como já é habitual, desvalorizando e atacando Meryl

O momento em que Donald Trump imitou um jornalista com deficiência foi o principal foco do poderoso discurso que Meryl Streep, emocionada e afónica, fez no domingo quando recebeu o Prémio Carreira “Cecil B. DeMille” na 74ª edição dos Globos de Ouro.

“Houve uma performance este ano que me impressionou. Não porque fosse boa, não teve nada de bom. Mas foi efetiva e fez o seu trabalho”, disse Meryl, que confessou que ver o agora Presidente eleito dos Estados Unidos troçar de alguém sobre a qual tinha superioridade, lhe “partiu o coração e isso é algo que não consegue esquecer, porque não foi um filme, foi na vida real”.

No seu discurso, com cerca de seis minutos, Meryl aproveitou ainda para criticar a aversão de Trump a imigrantes e a sua política de imigração, enumerando as diferentes ascendências e proveniências de vários atores de Hollywood. “Vocês e todos nós nesta sala pertencemos verdadeiramente aos segmentos mais vilipendiados da sociedade norte-americana neste momento. Pensem nisso. Hollywood, estrangeiros e a imprensa”.

“Mas quem somos nós? E o que é Hollywood, de qualquer forma? Um monte de pessoas de outros sítios. Hollywood está cheia de forasteiros e estrangeiros e se os expulsarmos todos, não terão nada para ver a não ser futebol e artes marciais mistas”, expressou a atriz, arrebatando uma salva de palmas da audiência.

“O desrespeito convida ao desrespeito, a violência incita à violência. Quando os mais poderosos usam a sua posição para intimidar os outros, todos nós perdemos”, concluiu a atriz, que pediu ainda aos presentes para “apoiarem o Comité para a Proteção dos Jornalistas, porque vamos precisar deles a partir de agora e eles vão precisar de nós para salvaguardar a verdade”.

“Meryl é uma das atrizes mais sobrevalorizadas de Hollywood”

Como já é habitual, a resposta de Trump não demorou muito a chegar via Twitter. O Presidente eleito dos EUA negou as acusações de Meryl Streep, referindo que “nunca troçou com um jornalista deficiente” e que apenas ficou desagradado pelo jornalista norte-americano, Serge Kovaleski, ter “modificado um artigo que escrevera há 16 anos” para passar uma imagem negativa sua.

Trump referiu ainda que Meryl é “uma das atrizes mais sobrevalorizadas de Hollywood” e uma “lacaia de Hillary que perdeu muito”.

O incidente em questão ocorreu em novembro de 2015, num comício na Carolina do Sul, no qual Donald Trump agitou os seus braços como se sofresse de uma deficência motora, pretendendo imitar o jornalista Kovaleski, que sofre de artrogripose (múltiplas contraturas articulares congénitas).