Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Morreu Rafsanjani, antigo presidente do Irão

RAHEB HOMAVANDI / Reuters

Ali Akbar Hashemi Rafsanjani foi presidente do Irão entre 1989 e 1997. Morreu este domingo, aos 82 anos

Ali Akbar Hashemi Rafsanjani, antigo presidente do Irão, morreu este domingo, aos 82 anos, vítima de ataque cardíaco, segundo avança a BBC. Rafsanjani chegou a ser transportado para o hospital em Teerão, mas não resistiu.

Rafsanjani foi presidente do Irão entre 1989 e 1997 e teve um papel importante na política iraniana nos anos 1980. Foi um dos líderes da revolução islâmica de 1979 e apoiante do ayatollah Ruhollah Khomeini, fundador da República Islâmica.

Em 2005, Rafsanjani perdeu as eleições para Mahmoud Ahmadinejad, de quem se tornou forte crítico e opositor. Quatro anos mais tarde, em 2009, o antigo Presidente iraniano juntou-se aos reformistas que disputaram as eleições desse ano, embora Ahmadinejad tenha vencido novamente.

Foi uma figura influente no Irão e um dos membros da Assembleia de Peritos, órgão político iraniano a quem cabe nomear o líder supremo, que é a figura com mais poder no país. Rafsanjani chefiou ainda o Conselho de Discernimento, outro dos órgãos políticos iranianos com a responsabilidade de mediar conflitos entre o parlamento e o Conselho dos Guardiães.

O jornal americano “The New York Times” escreve que a sua morte representa uma “enorme perda para o movimento reformista iraniano e para os moderados no Governo, para os quais o clérigo xiita era um líder e uma figura de proa”.

“Sentiremos muito a sua falta”, disse Farshad Ghorbanpour, um analista político próximo dos reformistas, citado pelo jornal. “Ele estava cada vez mais fragilizado, mas deu-nos esperança. Teremos agora de prosseguir sem ele”, acrescentou o analista.

Rafsanjani era visto como um político “conservador pragmático” aberto ao diálogo e ao fortalecimento dos laços com o Ocidente. E segundo relembra a agência Reuters, era descrito como “um pilar da revolução Islâmica”.

Os anos mais recentes

Em 2013, voltou a candidatar-se às presidenciais iranianas, mas a sua candidatura foi rejeitada. Foi, no entanto, um homens que esteve por detrás da ascensão do presidente Hassan Rouhani, em funções desde 2013, e com quem manteve uma relação de cumplicidade e amizade.

Segundo a imprensa internacional, o atual presidente iraniano, que protagonizou o acordo nuclear com os EUA de Barack Obama, foi visto este domingo no hospital onde Rafsanjani estava internado, antes de ser anunciada a sua morte.

O jornal britânico “The Guardian” sublinha que, numa entrevista em junho, Rafsanjani disse existirem dois nomes escolhidos para serem candidatos à sucessão de Khamenei, o atual líder supremo do Irão. Contudo, não chegou a haver confirmação oficial dos candidatos.

Nos últimos anos, dois dos seus filhos foram presos. A filha foi condenada a seis meses de prisão em 2012 por propaganda contra o regime.

O “Guardian” escreve que Rafsanjani era considerado a segunda figura política mais poderosa de uma parte significativa da história da República Islâmica. Nasceu a 25 de agosto de 1934 em Rafsanjan, no sul do Irão, estudou Teologia e entrou na política em 1963.

[notícia atualizada às 18h09]