Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Obama “desolado” com tiroteio na Flórida

CARLOS BARRIA/Reuters

“Este tipo de tragédias ocorreu com demasiada frequência durante os anos em que fui presidente”, referiu o presidente norte-amerciano, voltando a criticar a política de armas em vigor no país

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou sentir-se "desolado" pelo tiroteio perpetrado por um atirador na sexta-feira no aeroporto Fort Lauderdale (Flórida), em que cinco pessoas morreram e oito ficaram feridas.

"Simplesmente quero dizer que estamos desolados pelas famílias afetadas. A dor, a tristeza e o choque que atravessam deve ser enorme", disse Obama numa entrevista à estação de televisão ABC, que será difundida no domingo.

Sem tecer comentários sobre a natureza do incidente, o Presidente norte-americano disse que "nas próximas 24 horas vai saber-se exatamente o que se passou e o que motivou esta pessoa".

Obama, todavia, criticou a política de armas em vigor nos Estados Unidos e que ele não conseguiu mudar na Casa Branca devido à oposição do Congresso.

"Este tipo de tragédias ocorreu com demasiada frequência durante os anos em que fui presidente", disse.

Pelo menos cinco pessoas morreram e oito ficaram feridas quando um indivíduo que já foi detido abriu fogo na tarde de setxa-feira na zona de recolha das bagagens no aeroporto.

Algumas fontes identificaram o alegado autor dos disparos como o ex-militar Esteban Santiago Ruiz, nascido em Nova Jersey há 26 anos, de origem porto-riquenha e que serviu no Iraque entre 2011 e 2012.

A imprensa norte-americana informou que Esteban Santiago entrou em novembro num escritório do FBI em Anchorage (Alasca) e disse que escutava vozes que o instavam a alistar-se no Estado Islâmico (EI),incidente pelo qual recebeu tratamento psiquiátrico.