Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump admite que “houve tentativas de piratear” as convenções Democrata e Republicana

foto Jim Watson /AFP / Getty images

Após uma reunião com os diretores dos serviços secretos norte-americanos, o Presidente eleito admitiu que “a Rússia, a China e outros países bem como outros grupos e pessoas estão constantemente a tentar quebrar a estrutura informática” de várias organizações e empresas

Até agora, Donald Trump mostrou-se cético quanto às suspeitas de que possam ter existido interferências exteriores nas eleições norte-americanas. Mas esta sexta-feira, após um reunião com diretores dos serviços secretos, o Presidente eleito alterou o seu discurso, chegando mesmo a admitir que houve tentativas de piratear as eleições primárias, embora não tenham tido qualquer efeito.

“Enquanto a Rússia, China e outros países bem como outros grupos e pessoas estão constantemente a tentar quebrar a estrutura informática das nossas instituições governamentais, empresas e organizações, incluindo o Convenção Nacional Democrata, não há absolutamente nenhum efeito na eleição, incluindo o facto de que não houve alteração nas máquinas de voto. Houve atentivas de piratear a Convenção Nacional Republicana, mas tinha fortes defesas e os hackers não foram bem-sucedidos”, lê-se no comunicado emitido por Trump.

No mesmo texto, o Presidente eleito assegura ainda que a segurança dos Estados Unidos da América é uma das prioridades e, por isso mesmo, nos primeiros 90 dias em funções vai nomear uma equipa e preparar um plano de “combate aos ciberataques”. “Os métodos, as ferramentas e as táticas que usamos para manter os EUA seguros não devem ser públicos, porque isso beneficia quem procurar fazer-nos mal”, concluiu.