Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ministro indiano diz que mulheres foram molestadas por estarem “ocidentalizadas”

Polémicas declarações surgiram num comentário a uma vaga de ataques a mulheres ocorrida no meio da confusão da passagem de ano em Bangalore

O ministro da Administração Interna do Estado indiano de Karnataka, G Parameshwara, espoletou reações de indignação por ter justificado os inúmeros casos de mulheres molestadas por grupos de homens nas ruas sobrepovoadas do centro de Bangalore na noite de passagem de ano por as vítimas se apresentarem de modo “ocidentalizado”.

Os media locais divulgaram imagens de uma série de mulheres a pedirem auxílio à polícia, algumas a chorar, após terem sido molestadas por grupos de homens.

Os ataques em série ocorridos durante a noite de passagem de ano foram relatados por diversas pessoas, entre as quais jornalistas do “Bangalore Mirror”.

“A multidão era três vezes maior do que nós temos visto normalmente nesta área”, referiu Anantha Subramanyam, fotógrafo do jornal indiano, em declarações à BBC Hindi.

No entender do ministro Parameshwara, a culpa dos ataques é das jovens “que copiam as ocidentais, não apenas na mentalidade, mas também na forma de vestir”.

Lalitha Kumaramangalam, responsável da comissão nacional indiana para as mulheres, reagiu declarando que devido à “irresponsabilidade” das suas declarações, o ministro devia pedir desculpas às vítimas e apresentar a demissão. “Eu quero perguntar ao ministro: são os homens indianos tão patéticos e fracos que quando eles veem uma mulher com roupas ocidentais num dia de folia eles perdem o controle?”, questionou.

Parameshwara não foi o único responsável político a desculpar os atacantes. “Os rapazes serão sempre rapazes” e “eles fazem asneiras”, declarou Mulayam Singh Yadav, que foi líder do Partido Samajwadi e ministro do Estado de Uttar Pradesh.