Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Seul multa Nissan, BMW e Porsche em €5,6 milhões por falsificação de documentos

O Ministério do Ambiente da Coreia do Sul anuncia que além da sanção económica imposta às três marcas, anulou também os certificados de autorização de venda dados a dez modelos automóveis depois de ter detetado irregularidades na documentação dos mesmos

A Coreia do Sul anunciou hoje que vai aplicar uma multa total de 5,6 milhões de euros aos fabricantes automóveis Nissan, BMW e Porsche por falsificação de informações para obterem autorização de venda para dez modelos automóveis.

O Ministério do Ambiente de Seul anunciou ainda que, além da sanção económica imposta às três marcas, anulou os certificados dados àqueles modelos automóveis depois de ter detetado irregularidades nos documentos, segundo a agência de notícias local Yonhap, citada pela agência espanhola Efe.

Sobre a unidade sul-coreana do fabricante nipónico Nissan Korea recai a suspeita de fornecer relatórios para a Mercedes Benz sobre o modelo Infinity Q50 e para a Renault sobre o Qashqai. No caso da BMW, o governo sul-coreano acredita que os resultados dos testes apresentados para o modelo X5M correspondem ao do X6M.

A unidade local do fabricante alemão explicou que alguns dos resultados do X6M foram incluídos no relatório porque ambos os carros têm o mesmo motor e estão sob o mesmo número de certificação, e argumenta que ambos os modelos devem ser capazes de partilhar o seu teste, de acordo com o ministério.

Além disso, a unidade local da Porsche é acusada de falsificar ensaios de emissões, uma modificação dos relatórios que o fabricante alemão informou voluntariamente às autoridades no curso da investigação, revelou o ministério do Ambiente.

O governo da Coreia do Sul solicitou uma investigação formal à unidade local da Nissan, enquanto decidiu, independentemente das coimas, não solicitar uma investigação oficial sobre as empresas alemãs, considerando que a violação da lei pela BMW foi menor e houve atitude de colaboração da Porsche.

O ministério sul-coreano disse que vai reforçar o seu sistema de certificação para prevenir irregularidades semelhantes no futuro.