Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Atentado em Bagdade faz pelo menos 36 mortos em dia de visita de Hollande

CHRISTOPHE ENA / EPA

O atentado ocorreu no mesmo dia em que o Presidente francês visita a capital iraquiana. Antes, Hollande tinha considerado que “atuar contra o terrorismo no Iraque, é também prevenir atos terroristas” em França.

Pelo menos 36 pessoas morreram e 61 ficaram feridas em Bagdade, esta segunda-feira, num atentado com um veículo armadilhado, de acordo com o mais recente balanço do número de vítimas divulgado popr fontes da polícia iraquiana.

A maioria das vítimas encontrava-se num cruzamento de Sadr City, um bairro de maioria xiita na zona nordeste da capital iraquiana, frequentemente alvo de atentados terroristas, onde habitualmente é possível conseguir trabalhos diários.

De acordo com o mais recente balanço, 36 pessoas morreram e 61 ficaram feridas, no segundo atentado em Bagdade nas últimas 48 horas. Imagens do local do atentado, difundidas através de redes sociais, mostram uma coluna de fumo negro e os feridos a serem retirados.

O atentado ocorre no mesmo dia em que o Presidente francês François Hollande visita a capital iraquiana. Antes, Hollande tinha considerado que "atuar contra o terrorismo no Iraque, é também prevenir atos terroristas" em França.

No sábado, um duplo atentado reivindicado pelo grupo extremista autodenominado Estado Islâmico (Daesh) num mercado, no centro da cidade, causou 27 mortos e dezenas de feridos.

O Iraque continua a ser regularmente palco de atentados bombistas ou com veículos armadilhados, geralmente reivindicados pelo Daesh, que considera os muçulmanos xiitas, maioritários no Iraque, hereges.

O Daesh perdeu uma boa parte dos territórios que tinha conquistado em 2014 naquele país, mas mantém um bastião em Mossul, no norte, que as forças armadas iraquianas tentam reconquistar com a ajuda de uma coligação internacional.

[Notícia atualizada às 15h35, com novo balanço de número de mortos]