Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Hacker entra em conta da Sony e anuncia morte de Britney Spears

Christopher Polk/ Getty Images

A editora já pediu desculpas e explicou que a conta da Sony Music Global foi invadida po hackers

“Britney Spears morreu num acidente”. Este foi o tweet que a conta oficial da Sony Music publicou seguido da hashtag #RIPBritney. A informação era falsa. Agora, a editora pediu desculpa e explicou que a conta no Twitter foi invadida por hackers.
“A conta no Twitter da Sony Music Entertainment foi danificada. Já foi retificado. Pedimos desculpa a Britney Spears e aos fãs por toda a confusão”, lê-se no comunicado divulgado pela editora.

Ainda antes da confirmação da Sony, já o porta-voz da cantora negava a morte. Ao contrário do que o tweet informava, Adam Leber assegurava que Britney Spears estava de boa saúde.

“Assumo que a conta tenha sido pirateada. Estou certo disso. [Britney Spears] Está bem e saudável. Nos últimos anos, tem havido alguns palhaços na internet a fazer comentários semelhantes sobre a sua morta, mas isto nunca aconteceu na conta oficial da Sony”, referiu Adam Leber, porta-voz da cantora pop, em entrevista à CNN.

Em paralelo, também a conta no Twitter de Bob Dylan parece ter sido afetada, uma vez que o cantor também publicou um tweet em que lamentava o desaparecimento de Spears. A publicação foi entretanto apagada.

Segundo a revista “Billboard”, o ataque foi reivindicado pelo grupo OurMine. No entanto, apesar de assumirem a responsabilidade da ação, negam ser hackers e dizem que são apenas um grupo que verifica a segurança das contas nas redes sociais.

Esta não é a primeira vez que a Sony é vítima de um ataque informático. Um dos mais recentes foi em abril de 2014. Na altura, a empresa admitiu que as contas de mais de 24,6 milhões de utilizadores da plataforma Sony Online Entertainment poderiam ser afetadas. Os dados incluíam mais de 12 mil cartões de crédito e débito não americanos assim como os registos de compras de mais de dez mil utilizadores na Áustria, Alemanha, Holanda e Espanha. Além disso, as contas possibilitavam o acesso ao nome, email, morada, data de aniversário, número de telefone, username e password dos utilizadores.