Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Coreia do Sul. 29 deputados voltam costas à Presidente destituída

JEON HEON-KYUN/EPA

O que era uma ameaça, confirmou-se. Quase um quarto dos deputados do partido conservador Saenuri anunciaram a sua saída, uma decisão tomada após o escândalo que envolve Park Geun-hye, acusada de fraude e abuso de poder

Quase um quarto dos deputados do partido governante na Coreia do Sul voltaram costas à Presidente do país, Park Geun-hye, depois de esta ter caído em desgraça, acusada de fraude e abuso de poder. O escândalo levou a que, no dia 9, o Parlamento sul-coreano tenha votado a favor do seu afastamento, colocando o destino de Park nas mãos de um tribunal.

A debandada do partido conservador Saenuri — que conta com 128 dos 300 lugares disponíveis no Parlamento — era já uma ameaça, mas confirmou-se após a aprovação do ‘impeachment’. 29 deputados confirmaram esta terça-feira ter a intenção de deixar o partido.

Nas ruas, as manifestações contra Park Geun-hye têm sido também uma constante, com o primeiro-ministro, Hwang Kyo-ahn — agora presidente interino — a apelar às autoridades no sentido de garantirem que os protestos sejam pacíficos.

No centro da crise política está a relação de Park com uma amiga próxima e sua confidente, Choi Soon-sil, que é suspeita de ter usado as suas ligações próximas à Presidente para ganhar influência junto de grandes grupos industriais e obter assim benefícios financeiros.

Choi compareceu pela primeira vez em tribunal no passado dia 19. Pediu desculpas quando foi interrogada, mas nega as principais acusações que lhe são feitas.