Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Centenas de refugiados estão a regressar a Calais

Norrent-Fontes, a 30 quilómetros do porto de Calais, já albergava um acampamento improvisado antes da demolição da “selva”

DENIS CHARLET / AFP / GETTY IMAGES

Quase dois meses depois do desmantelamento do campo improvisado na fronteira de França com o Reino Unido, centenas de requerentes de asilo, muitos deles crianças a quem os britânicos tinham prometido acolhimento, estão a instalar-se em seis novos campos “secretos”, noticia o jornal “The Independent”

Centenas de refugiados já retornaram à região de Calais na esperança de conseguirem vir a alcançar o território britânico, menos de dois meses depois de as autoridades francesas terem desmantelado o campo improvisado que durante vários meses albergou milhares de requerentes de asilo naquela fronteira.

A informação está a ser avançada esta terça-feira pelo jornal britânico “The Independent”, que dá conta de pelo menos seis novos campos improvisados em zonas rurais da região de Nord-Pas de Calais, cada um já a albergar dezenas de refugiados e migrantes, em números que têm estado a aumentar de forma sustentada nas últimas semanas.

No início de novembro, as autoridades francesas tinham anunciado o encerramento total da chamada “selva” de Calais, após a demolição das últimas tendas de abrigo e a redistribuição dos últimos refugiados por centros de receção espalhados por França — uma operação que França declarou ter sido um “sucesso”. Contudo, centenas dessas pessoas que tinham sido transportadas em autocarros para centros de registo do país já voltaram a Calais, no norte, onde o canal da Mancha liga França ao Reino Unido.

Muitos dos que já se reinstalaram na região são crianças cujos pedidos de asilo foram rejeitados pelo Ministério do Interior britânico no início de dezembro, apesar de o Governo de Theresa May se ter comprometido a acolhê-las após a evacuação total do campo de Calais.

Um dos novos campos “secretos” fica situado numa pequena vila francesa, Norrent-Fontes, a cerca de 30 quilómetros de distância do porto de Calais. Pelo menos 130 refugiados já estão a viver nesse campo, mas o número, aponta o jornal “The Independent”, deverá aumentar nas próximas semanas à medida que mais pessoas, sobretudo menores de idade, abandonam os centros de receção noutras zonas de França rumo à fronteira com o Reino Unido.

Ao jornal britânico, Julien Muller, voluntário da pequena organização de caridade Terre d’Errance, que tem estado a prestar apoio aos refugiados no campo improvisado de Norrent-Fontes, disse que “há cada vez mais e mais pessoas a voltar” a Calais e que “só esta semana dezenas de pessoas chegaram” à zona.

“Suponho que mais virão nos próximos meses. Com o Governo britânico a pôr fim às transferências de refugiados menores para o Reino Unido, tem havido muitas crianças a voltar. Há pessoas que são claramente menores de idade e que têm família no Reino Unido, mas a quem lhes foi dito que [o acolhimento] já acabou. Agora estão a voltar para tentarem ir por si próprias [para o Reino Unido]”, diz o voluntário. “Os adultos também estão a voltar em elevados números dos centros. Alguns queriam ficar em França mas têm estado à espera há dois meses e não lhes foi dada a oportunidade de pedir asilo. Desistiram.”