Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Cheias obrigam a encerrar parque natural na Austrália

A enxurrada de água das chuvas que caíram no dia de Natal é classificada pelo serviço de meteorologia local como as que acontecem apenas duas vezes num século.

A chuvada que se abateu sobre o país levou ao encerramento do parque Uluru-Kata Tjuta. A água era tanta que as rochas se transformaram em autênticas cascatas provocando inundações nas imediações do parque. A dimensão do acontecimento é descrita pelo Instituto de Meteorologia local como raro, daqueles que acontece somente duas vezes por século.

O diretor do parque, Mike Misso, declarou haver "imensa água a sair das rochas, o que fez que algumas estradas perto de Ulruru ficassem submersas em 300 – 400 milímetros de água. Um fenómeno espetacular, mas que dá péssimas condições para circulação nas estradas".

O Parks Australia, site governamental australiano que promove os parques nacionais, divulgou que o desenvolvimento da tempestado vai continuar a ser seguido, porém é certo que ainda não é seguro reabrir o parque po enquanto.

As cheias repentinas obrigaram à evacuação de dezenas de residentes da cidade de Kintore, no norte da Austrália. Kintore ficou isolada devido às dificuldades com que as pessoas se deparavam ao tentar chegar à localidade, decorrentes das fortes chuvadas, disseram fontes policiais à ABC.

Também Papunya, uma pequena cidade de comunidades indígenas, ficou totalmente isolada e Yulara, a comunidade mais próxima do parque natural nacional, ficou totalmente inundada.

O Institudo de Metereologia descreveu a enxurrada do dia de natal como sendo um evento que acontece duas vezes por século.

Uluru é um grande rocha de arenito cujo interior é sagrado para os indígenas Anagu, e é uma das principais atrações turistícas do país.