Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Artistas e políticos lamentam, nas redes sociais, a morte de George Michael

NATALIA KRAVCHUK / EPA

Elton John, Ellen Degeneres, Jeremy Corbyn, Ricky Gervais são apenas alguns dos que já comentaram o sucedido. O cantor morreu este domingo aos 53 anos

O músico Elton John, o líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn, e o comediante Ricky Gervais estão entre os que já lamentaram, nas redes sociais, a morte do músico inglês George Michael, no domingo, aos 53 anos.

"É triste ouvir que George Michael morreu. Era um artista excecional e um grande apoiante dos direitos dos LGBT [Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgénero] e dos trabalhadores", afirmou Jeremy Corbyn através do Twitter.

Também a primeira-ministra da Escócia, Nicola Surgeon, usou o Twitter para expressar tristeza pela morte de um ídolo de adolescência, e precisamente num dia de Natal passado com a família.

Os 'media' britânicos dão conta de outras reações de artistas, como o guitarrista Brian May, incrédulo com a notícia, e Elton John que se manifestou "em choque" por ter perdido "um querido amigo, o mais bondoso, a alma mais generosa e um artista brilhante".

O músico e produtor Mark Ronson escreveu que George Michael era um dos verdadeiros artistas britânicos, muito mais do que um "fenómeno pop mundial". "Muitos de nós estamos em dívida para com ele", lê-se no Twitter.

A apresentadora de televisão Ellen DeGeneres, os músicos Brian Wilson e Bryan Adams estão entre outros nomes que lamentaram a morte de George Michael.