Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Avião militar russo cai com 92 pessoas a bordo

Alexandrov Ensemble, o grupo musical oficial do Exército russo, fundado em 1928.

JACQUES DEMARTHON/GETTY IMAGES

O aparelho transportava militares e membros do Alexandrov Ensemble, o grupo musical oficial do exército, que se deslocavam à Síria para participar nas celebrações de Ano Novo com os soldados russos. No total, seguiam 92 pessoas a bordo. O ministro da Defesa russo informou que não há sobreviventes. Por enquanto, está afastada a hipótese de atentado terrorista

Helena Bento

Jornalista

Os destroços do avião militar russo que tinha desaparecido dos radares foram encontrados no Mar Negro, de acordo com agências de notícias locais que citam o Ministério da Defesa.

“Fragmentos do avião Tu-154 do Ministério da Defesa russa foram encontrados a 1,5 quilómetros da costa da cidade de Sochi, no Mar Negro, a uma profundidade entre 50 e 70 metros”, indicou o ministério.

O avião transportava militares e membros do Alexandrov Ensemble, o grupo musical oficial do Exército russo fundado em 1928, durante a era soviética, considerado “um dos símbolos da cultura militar soviética” e “um dos mais famosos conjuntos musicais militares na época da Rússia”, que chegou inclusive a visitar Portugal durante o período revolucionário, apontou José Milhazes, antigo correspondente em Moscovo, em declarações à SIC. O grupo deslocava-se à Síria para participar com os soldados russos nas celebrações de Ano Novo na base em Latakia, cidade portuária no noroeste do país.

Uma lista divulgada pelo ministério da Defesa russo com o nome das pessoas que seguiam a bordo permite identificar 64 elementos do grupo musical. No total, seguiam a bordo 92 pessoas - 83 passageiros e oito membros da tripulação. Segundo a Reuters, que cita Igor Konashenkov, porta-voz do ministro da Defesa russo, não há quaisquer sobreviventes da queda do avião.

Uma gravação áudio da última comunicação efetuada entre os controladores do tráfego aéreo que se encontravam de serviço e o avião, entretanto divulgada por meios de comunicação russos, revela que não houve qualquer pedido de ajuda por parte dos pilotos do aparelho.

Está afastada, por enquanto, a possibilidade de se ter tratado de um atentado terrorista. Fonte oficial russa, citada pela AFP, disse que o mais provável é que tenha havido uma avaria técnica ou um erro humano. Viktor Ozerov, presidente do comité de Defesa e Segurança do Conselho da Federação Russa, citada pela agência estatal RIA Novosti, disse excluir “totalmente” a hipótese de atentado terrorista.

O aparelho partiu às 05h40 (02h40 em Lisboa) de Adler, na zona balnear de Sochi, na costa do Mar Negro, e realizava um voo de rotina para a base russa Hmeimim, na costa da cidade síria de Latakia, quando desapareceu dos radares.

De acordo com a BBC, que cita Igor Konashenkov, porta-voz do ministério da Defesa, foi encontrado um corpo de uma das vítimas a seis quilómetros da costa de Sochi A CNN fala em quatro corpos resgatados, citando uma agência de notícias russa, a Tass.

Sabe-se que a bordo do aparelho seguiam ainda nove jornalistas.

[Notícia atualizada às 12h00]