Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Filipinas preparam-se para a chegada do Nock-Ten no Natal

Em 2015, as Nações Unidas declararam as Filipinas como um dos países mais afetados por desastres naturais. E Manila, a capital, é particularmente vulnerável ao impacto das alterações climáticas.

Dondi Tawatao/Getty Images

Com ventos de 150 quilómetros por hora e rajadas de 185 quilómetros por hora, o tufão vai cruzar a região central do arquipélago no domingo. As autoridades declararam estado de alerta para uma dezena de províncias, onde a passagem do Nock-Ten vai provocar fortes chuvas

As autoridades filipinas preparam-se este sábado para a chegada do tufão Nock-Ten, no dia de Natal, que já deixou em terra milhares de pessoas em vários portos do país, informa a imprensa local.

Com ventos de 150 quilómetros por hora e rajadas de 185 quilómetros por hora, o tufão, conhecido como Nina nas Filipinas, vai cruzar a região central do arquipélago no domingo.

Segundo o departamento meteorológico das Filipinas, o Nock-Ten ganhou força e espera-se que nas próximas horas alcance a categoria quatro, num máximo de cinco, enquanto perde velocidade antes de tocar terra.

As autoridades declararam estado de alerta para uma dezena de províncias, onde a passagem do tufão vai provocar fortes chuvas em zonas localizadas num raio de 400 quilómetros, segundo o jornal “The Inquirer”.

De acordo com a última atualização oficial, o Nock-Ten encontra-se a 480 quilómetros da província oriental de Catanduanes, na região de Bícol.

As autoridades desta região informaram que pelo menos 5.700 pessoas adiaram viagens de barco devido ao temporal.

Entre 15 e 20 tufões atingem todos os anos as Filipinas na época das chuvas, que começa em junho e termina em novembro.

Em novembro de 2013, o tufão Haiyan, um dos mais potentes da história a tocar terra, causou 6.300 mortos, mais de mil desaparecidos, e afetou 14 milhões de pessoas na região central das Filipinas.