Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Detidos três homens com ligações ao suspeito do atentado em Berlim

TOBIAS SCHWARZ

Um dos suspeitos é o sobrinho de Anis Amri, o homem dado como suspeito do atentado de Berlim e que foi abatido pelas forças de segurança italianas em Milão, na sexta-feira. Amri ter-lhe-á enviado dinheiro para que o filho da irmã pudesse ir ter com ele à Alemanha e encorajado a jurar lealdade ao Estado Islâmico

Helena Bento

Jornalista

As autoridades tunisinas detiveram três suspeitos com ligações a Anis Amri, o alegado responsável pelo atentado que matou 12 pessoas em Berlim e que foi abatido ontem pelas forças de segurança italianas em Milão, informou este sábado o ministro do Interior tunisino, Hédi Majdoub, num comunicado citado pela AFP.

Um desses suspeitos é o seu sobrinho. Os três homens, que foram detidos na sexta-feira, têm entre 18 e 27 anos e “pertencem a uma célula terrorista com ligações a Anis Amri, que cometeu o ataque terrorista em Berlim”, informa a nota.

De acordo com o ministro tunisino, Amri enviou dinheiro para o seu sobrinho, por via postal, para que o filho da irmã pudesse ir ter com ele à Alemanha, e encorajou-o a jurar lealdade ao autoproclamado Estado Islâmico. Durante a investigação, o sobrinho terá admitido que entrou em contacto com Amri através do Telegram, um serviço de mensagens.

Hédi Majdoub não especificou o local onde os três suspeitos foram detidos, mas disse que a célula terrorista a que pertenciam estavam ativa entre Fouchana, no sul da Tunísia, e Oueslatia, cidade onde vive a família de Amri, no centro do país.

Anis Amri, tunisino de 24 anos suspeito de ter conduzido o camião que abalroou o mercado de natal da Breitscheidplatz, em Berlim, foi abatido ontem pela polícia italiana, em Milão. A notícia foi avançada inicialmente pela Reuters e confirmada posteriormente pelo ministro do Interior italiano, Marco Minniti.

Amri foi abatido depois de ter disparado contra um agente das forças de segurança, numa operação stop em que lhe pediram que mostrassse o seu documento de identificação. O polícia atingido deu entrada no hospital, onde permanece internado, embora não corra risco de vida.