Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ministro italiano confirma que suspeito de atentado em Berlim foi abatido pela polícia

HANDOUT/ Reuters

Anis Amri, tunisino de 24 anos suspeito de ser responsável pelo ataque a um mercado de natal da capital alemã, foi morto pela polícia, depois de ter sacado de uma arma e atingido um agente das forças de segurança italianas, em Milão

Helena Bento

Jornalista

Anis Amri, o tunisino suspeito de ter conduzido o camião que abalroou o mercado de natal da Breitscheidplatz, em Berlim, foi abatido esta sexta-feira pela polícia italiana, em Milão. A notícia foi avançada pela agência Reuters e confirmada esta manhã pelo ministro do Interior italiano, numa conferência de imprensa.

De acordo o ministro Marco Minniti, o suspeito foi abatido pela polícia depois ter disparado contra um agente das forças de segurança, num controle de segurança em que lhe pediram que mostrassse o seu documento de identificação, às 3h desta madrugada.

O polícia atingido ficou ferido sem gravidade e encontra-se internado no hospital. “Não há qualquer dúvida de que o homem abatido pela polícia é o mesmo que era procurado pelas forças policiais alemãs”, suspeito de ser responsável pelo ataque que provocou a morte de 12 pessoas e feriu outras 46 num mercado em Berlim, disse o ministro. Numa mensagem publicada no Facebook, o primeiro-ministro italiano Matteo Renzi elogiou as forças de segurança italianas pela sua “qualidade extraordinária e profissionalismo”.

De acordo com a agência Ansa, Anis Amri foi abatido pela polícia em frente à estação de Sesto San Giovanni, em Milão. O seu irmão Abdelkader Amri, que esta semana disse aos jornalistas, a partir da casa da família na Tunísia, que acreditava na inocência de Anis e que ele saiu de casa “por razões económicas, para trabalhar e ajudar a família” e não por causa do terrorismo, disse esta manhã estar “chocado” com o sucedido e recusou-se a prestar mais declarações sobre o assunto.

Lubomír Zaorálek, ministro dos Negócios Estrangeiros da República Checa, confirmou esta sexta-feira de manhã, numa conferência de imprensa em Praga, que entre as vítimas do atentado encontra-se uma cidadã de origem checa. Sabe-se apenas que a mulher vivia e trabalhava em Berlim.

Na quinta-feira, as autoridades confirmaram ter encontrado impressões digitais de Amri dentro do camião usado para executar o ataque, que foi reivindicado pelo autoproclamado Estado Islâmico (Daesh). Perante isto, o ministro alemão do Interior informou que Amri é, “com alta probabilidade”, o autor do atentado de Berlim.

“Podemos dizer-vos hoje que há provas adicionais de que este suspeito é com alta probabilidade o autor” do atentado, disse Maizière esta quinta-feira, durante uma visita às instalações em Berlim do Departamento Federal de Investigação Criminal (BKA). “Foram encontradas impressões digitais na cabina e há outras indicações adicionais que sugerem isto”, disse ainda. “É crucial que a caça ao homem seja concluída tão depressa quanto possível”, acrescentou o ministro.

[NOTÍCIA ATUALIZADA ÀS 11H54]