Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Israel não vai cumprir resolução do Conselho de Segurança e ataca Obama

Kevin Lamarque / Reuters

Primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, informa em comunicado que “rejeita a vergonhosa resolução da ONU” na qual é exigido fim imediato da colonização em territórios palestinianos

Israel não vai cumprir a resolução aprovada esta sexta-feira pelo Conselho de Segurança da ONU, que exige o fim imediato da colonização em territórios palestinianos, disse o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

“Israel rejeita a vergonhosa resolução da ONU anti-Israel e não está de acordo”, informa, em comunicado, o gabinete do primeiro-ministro israelita.

No comunicado, o primeiro-ministro salienta que, como o “Conselho de Segurança não faz nada para parar o massacre de meio milhão de pessoas na Síria, conspira contra a única verdadeira democracia do Médio Oriente, Israel, e qualifica o Muro das Lamentações [lugar mais sagrado do judaísmo] como um ‘território ocupado’”, disse.

A resolução aprovada esta sexta-feira pelo Conselho de Segurança da ONU exige que Israel “pare imediatamente e completamente toda a atividade dos colonatos em territórios palestinianos”.

No comunicado, Benjamin Netanyahu acusa também o Presidente cessante dos Estados Unidos Barack Obama de se ter associado à “liga anti Israel” na ONU.

Israel “espera trabalhar com o Presidente eleito Donald Trump e todos os nossos amigos no Congresso, os republicanos e democratas, para neutralizar os efeitos negativos da presente e absurda resolução”, acrescenta o comunicado.

Em reação à adoção desta resolução, Donald Trump escreveu no Twitter: “Em relação à ONU, as coisas serão diferentes depois de 20 de janeiro”.