Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Índia vai aplicar multas a aviões que libertem os seus dejetos no ar

A regulação visa que os aviões sejam inspecionados de surpresa ao aterrar para averiguar o estado dos tanques. Se estiverem vazios, a companhia aérea detentora do avião terá de pagar uma multa

Um tribunal indiano determinou multas de 50 mil rupias (cerca de 705 euros) para as companhias aéreas cujos aviões libertem dejetos humanos das casas de banho para a atmosfera.

A legislação vem no seguimento de uma petição criada por um oficial do exército reformado que acusou as companhias aéreas de despejarem dejetos humanos sobre áreas residenciais de Nova Deli. O oficial disse, citado pela BBC, que as “paredes e o chão” do terraço de sua casa, próxima do aeroporto, “estão salpicados com grandes quantidades de excrementos despejados por aviões”. Apesar de tudo, não foi provado que estes dejetos terão vindo de aviões.

É suposto que as casas de banho dos aviões guardem os excrementos humanos em tanques especiais e os despejem quando o avião aterra. Mas as autoridades de aviação internacional sabem que por vezes ocorrem descargas no ar.

O tribunal pediu ao regulador de aviação para que garantisse que os aviões não libertem dejetos humanos enquanto estão a aterrar ou perto dos aeroportos.

O ministério da aviação contestou a petição, dizendo que as casas de banhos dos aviões armazenam os dejetos em tanques especiais que depois são limpos por funcionários do aeroporto assim que os aviões aterram.