Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tudo o que sabe sobre o ataque em Ancara

TUMAY BERKIN/ EPA

O embaixador russo em Ancara, Andrey Karlov, morreu com um tiro pelas costas. O atirador, que já foi identificado, era um polícia turco. Vladimir Putin considerou que o ataque tinha como objetivo prejudicar as relações entre a Rússia e a Turquia

O que aconteceu?

O embaixador russo em Ancara, Andrey Karlov, foi atingido a tiro pelas costas enquanto discursava na inauguração de uma exposição de fotografia, em Ancara, na Turquia. Devido à gravidade dos ferimentos, acabou por morrer.

Karlov foi interrompido por um homem vestido de fato e gravata, que se fez passar por segurança, que gritou “Deus é grande!“ (Allahu Akbar, em árabe), disparando em seguida oito tiros. E disse aos presentes: “Não esqueçam Alepo, não esqueçam a Síria. Só quando as nossas cidades estiverem seguras é que vocês também estarão. Só a morte me pode levar daqui. Todos os envolvidos neste sofrimento serão punidos”.

“Este é um dia trágico para a história da diplomacia russa. Hoje [esta segunda-feira] o embaixador da Rússia na Turquia, Andrey Karlov, morreu após ter sido baleado durante um evento público em Ankara”, confirmou a porta-voz do ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova, numa declaração em direto na televisão estatal.

A exposição que estava a ser inaugurada intitulava-se “A Rússia vista pelos turcos”.

Quem era Andrei Karlov?

Andrey Karlov durante o discurso de inauguração da exposição. Momentos depois, foi baleado

Andrey Karlov durante o discurso de inauguração da exposição. Momentos depois, foi baleado

STRINGER/ Reuters

Casado e com um filho, Andrei Karlov nasceu há 62 anos em Moscovo, na Rússia. Aos 22 anos começou a carreira diplomática, tendo passado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros da USSR e Rússia. Enquanto embaixador, esteve destacado na Coreia do Sul e só em julho de 2013 assumiu funções na Turquia. Era em Anacara que exercia o cargo de embaixador da Rússia.

“É uma perda para o mundo, porque o nosso embaixador na Turquia grande parte dos seus esforços estavam focados, nos últimos anos, em contribuir para um acordo e para a estabilidade na Síria”, referiu a porta-voz do ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova numa declaração na televisão estatal, Rossiya 24 TV.

Quem é o suspeito?

O suspeito, entretanto “neutralizado” pelas autoridades, foi identificado como Mevlut Mert Altintas, um polícia de 22 anos, que segunda-feira não estava ao serviço. A informação foi avançada pelo presidente da Câmara de Ancara e já foi confirmada pelo ministro do Interior da Turquia, Suleyman Soylu.

O atirador estava na polícia há cerca de dois anos e meio. Ainda se desconhece se agiu sozinho ou se teria cúmplices. Segundo os media locais, a mãe e a irmã do suspeito foram detidas pelas autoridades turcas.

Ainda não se sabe o que terá motivado o ataque.

Quais as consequências?

Os presidentes da Rússia e Turquia (fotografia de arquivo)

Os presidentes da Rússia e Turquia (fotografia de arquivo)

Mikhail Svetlov/Getty Images

O ministro do Interior turco confirmou que outras três pessoas ficaram feridasna sequência dos disparos na exposição, nenhuma com gravidade.

A nível politico, a Rússia já assegurou que o ataque em nada afeta as relações com a Turquia. “As relações entre Moscovo e Ancara não se vão tornar frias, independentemente do quanto os nossos oponentes estratégicos em Ancara e no Ocidente o desejam. Isso não vai acontecer... Há diferenças entre nós. É uma tragédia horrenda, mas as relações entre os dois países não serão afetadas”, disse Leonid Slutsky, responsável pelo comité de assuntos internacionais da Assembleia Federal russa, citado pela BBC.

Para assegurar isso mesmo, o Presidente turco, Recep Erdogan, tomou a iniciativa de telefonar ao homólogo russo, Vladimir Putin.

A Rússia, segundo o ministério dos Negócios Estrangeiros, vai apresentar o Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Para esta terça-feira estava agendado um encontro entre os Ministros dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Turquia e Irão para discutir a situação na Síria. Apesar do ataque, a reunião irá manter-se.

Que já reagiu?

A Rússia considera a morte do embaixador russo na Turquia, Andrei Karlov, como um “ato terrorista”. O Presidente Vladimir Putin disse que a morte do embaixador tinha a intenção estragar as relações entre os dois países.

“Este assassinato é uma clara provocação para prejudicar os desenvolvimentos e a normalização das relações entre a Rússia e a Turquia, bem como para enfraquecer o processo de paz na Síria promovido pela Rússia, Turquia, Irão e os outros países interessados na estabilização da síria”, acusou Putin numa declaração emitida pela televisão estatal.

“Consideramos o caso um ato terrorista. O terrorismo não vai vencer e vamos combatê-lo firmemente”, disse a porta-voz do ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova, numa declaração em direto na televisão estatal.

O governo sírio, através da televisão estatal, condenou “este ato terrorista cobarde que matou o embaixador da Rússia na Turquia”.

Federica Mogherini, vice-presidente da Comissão Europeia e reponsável pela política externa na UE:

Casa Branca:

Jonh Kerry, secretário de estado dos Estados Unidos da América, através do seu porta-voz, Jonh Kirby:

Boris Johnson, ministro dos Negócios Estrangeiros britânico:

Mariano Rajoy, presidente do Governo de Espanha