Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tribunal francês condena Christine Lagarde por negligência

GEORG HOCHMUTH/GETTY

Atual diretora do FMI foi julgada devido a um acordo extrajudicial que estabeleceu enquanto ministra das Finanças e que favoreceu um apoiante do então presidente Nicolas Sarkozy. A direção do FMI deve reunir-se em breve para analisar a situação

Christine Lagarde foi esta segunda-feira condenada por negligência pelo Tribunal de Justiça da República de França, mas não será alvo de punição, segundo acaba de anunciar a agência France Presse. O advogado de Lagarde declarou de imediato que a sua equipa vai estudar um possível recurso.

A atual diretora do FMI foi julgada pelo seu papel no estabelecimento de um acordo extajudicial, muito pouco comum, no âmbito do qual o Estado francês pagou uma indemnização de 403 milhões de euros ao empresário Bernard Tapie, em 2008, quando Lagarde era ministra das Finanças.

Tapie solicitou a compensação estatal após ter vendido a sua quota da Adidas ao Credit Lyonnais em 1993. O veredicto surgiu como uma surpresa, pois o procurador francês encarregado do caso considerara na semana passada que o processo era “muito fraco”, não prevendo que desse lugar a uma condenação.

A sua condenação poderia ter-lhe valido uma sentença de um ano de prisão que a iria afastar da direção do FMI, cargo para o qual foi releita este ano para um novo mandato de cinco anos. Um porta-voz do FMI indicou entretanto que a direção da instituição deverá reunir-se para analisar “os últimos desenvolvimentos” do caso.

Lagarde foi ministra das Finanças entre 2007 e 2011 antes de ter assumido a chefia do FMI, em sequência dos escândalos sexuais que envolveram o seu antecessor Dominique Strauss-Kahn. Este é apenas o quinto caso a ir a julgamento no Tribunal de Justiça da República, um tribunal especial criado em 1993 destinado a processos que envolvam ministros.

No ano passado, um tribunal de recurso determinou que Tapie tem de devolver ao Estado francês a indemnização que recebera, mas o empresário entretanto recorreu dessa decisão e o processo ainda se encontra pendente.