Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Rússia considera morte de embaixador como ato terrorista

As autoridades turcas cercaram o local onde o embaixador foi baleado

UMIT BEKTAS/ Reuters

Os russos vão levar o tema à reunião do Conselho de Segurança da ONU. Também o secretário de Estado norte-americano já condenou o ataque

A Rússia considera a morte do embaixador russo na Turquia, Andrei Karlov, como um ato terrorista. Segundo o ministério dos Negócios Estrangeiros, o caso vai ser apresentado ao conselho de Segurança das Nações Unidas. O diplomata foi morto a tiro, esta segunda-feira, enquanto discursava na inauguração de uma exposição.

Entretanto, o Presidente russo, Vladimir Putin, já convocou o seu ministro dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, para uma reunião de emergência.

Também Jonh Kerry, secretário de estado dos Estados Unidos da América, através do seu porta-voz, já condenou o ataque.

O Presidente Francês reagiu à morte do embiaxador, condenando o ataque.

O governo sírio condena, através da televisão estatal, “este ato terrorista cobarde que matou o embaixador da Rússia na Turquia”.

em desenvolvimento

  • Óbito foi confirmado pela porta-voz do ministro dos Negócios Estrangeiros russo. Para além do diplomata Andrei Karlov, os media locais referem um número ainda indeterminado de feridos que também se encontravam na exposição de fotografia visitada esta tarde pelo embaixador russo em Ancara