Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Pelo menos 33 pessoas morreram na Rússia por ingerirem loção corporal com álcool

Perfumes baratos e tonificantes faciais com álcool são vendidos na Rússia sem as restrições aplicadas à venda de bebidas alcoólicas. São, em regra, as pessoas mais desfavorecidas que recorrem a este tipo de substâncias

As autoridades sanitárias russas anunciaram esta segunda-feira que pelo menos 33 pessoas morreram numa cidade siberiana por envenenamento com metanol – uma substância usada como anticongelante – depois de beberem uma loção para o corpo.

As autoridades russas lançaram já uma investigação ao incidente e duas pessoas foram entretanto detidas. Foram também confiscados mais de 500 litros do líquido tóxico em vários mercados da mesma cidade siberiana.

Cinquenta e quatro pessoas foram levadas para os hospitais em Irkutsk – a sexta maior cidade russa, com 1,1 milhões de habitantes –, depois de consumirem a substância tóxica e 33 morreram, de acordo com uma fonte da comissão de investigação à agência France Press.

De acordo com as autoridades, o produto com metanol indicava claramente no rótulo que não devia ser ingerido.

O primeiro-ministro russo Dmitry Medvedev deu instruções ao seu gabinete para resolver de uma vez por todas as questões relacionadas com o álcool contrafeito – que todos os anos está na origem de muitas mortes na Rússia –,considerando uma "absoluta desgraça" a comercialização deste deste tipo de produtos nas máquinas de “vending” em todo o país.