Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“Escapei de Alepo”. A menina síria que relatava os horrores da guerra foi resgatada

“Durante a evacuação, sofremos muito porque estivemos quase 24 horas num autocarro sem água ou comida. Estivemos como prisioneiros, mas finalmente conseguimos chegar aqui e agradecemos a Deus e a todos os nossos amigos que nos apoiaram”, revelou a mãe da criança depois da família ter sido resgatada

Durante os últimos três meses, Bana Alabed, uma criança síria com sete anos, e a mãe, Fatemah Alabed, relataram no Twitter o dia-a-dia em Alepo. Esta segunda-feira, o presidente da Sociedade Médica Sírio-Americana, Tarakji Ahmad, confirmou a retirada da menina da cidade síria.

Também a criança confirmou no Twitter que tinha “escapado de Alepo”, juntamente com os seus pais e irmãos, Mohamed e Noor (com cinco e três anos, respetivamente) De acordo com a CNN, o ministro dos Negócios Estrangeiros turco, Mevlut Cavusoglu, anunciou que a Turquia tinha intenção de dar casa a Bana e à família.

Num vídeo publicado esta segunda-feira, Bana aparece com a sua mãe numa entrevista, na qual Fatemah referiu que estava contente por estarem seguras mas que tinha pena de ser forçada a abandonar a sua terra. “Eu e a Bana queremos dizer ao mundo o quanto as crianças e todas as pessoas no leste de Alepo estão a sofrer com os bombardeamentos. Foi por isso que criamos a conta de Twitter, para contarmos ao mundo o que estava a acontecer. Estamos contentes porque a nossa voz conseguiu chegar ao mundo. Estamos livres”, declarou Fatemah.

“Queremos levar a liberdade para lá e gostariamos de voltar, porque não desejamos ser refugiadas noutros países”, acrescentou ainda a mãe da criança. “Quero um futuro bom para as minhas crianças”, revelou Fatemah.

No domingo, a mãe de Bana fez uma publicação, pedindo a Recep Tayyip Erdogan, Presidente turco, e a Cavusoglu ajuda na evacuação de Alepo e para continuarem com o cessar-fogo. Cavusoglu respondeu que “as dificuldades que estavam a enfrentar não os iriam deter e que assegurava que estava a fazer de tudo para conseguir tirar a menina e milhares de outras pessoas para um sítio seguro”.

A evacuação de Alepo reiniciaram-se entre a noite de domingo e esta segunda-feira de manhã, depois de serem várias vezes bloqueadas durante o fim-de-semana. De acordo com o Comité Internacional da Cruz Vermelha, citado pelo "The Guardian", 5 mil civis já foram retirados em 75 autocarros.

  • A criança de sete anos que relata a tragédia em Alepo. “Ainda estou viva”

    “Olá. Sou a Bana, uma menina de sete anos em Alepo. Eu e a minha mãe queremos contar-vos mais sobre os bombardeamentos. Obrigada.” Vive com os irmãos mais novos e o jardim da casa transformou-se num monte de ruínas. Quer ler e desenhar em sossego. E questiona-se: “Porque é que o mundo não nos ouve?”. A Síria está em guerra civil - só na semana passada, segundo a UNICEF, 96 crianças morreram e 233 ficaram feridas devido aos bombardeamentos em Alepo