Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Papa pede velhice “tranquila e fecunda”

OSSERVATORE ROMANO/GETTY

“Rezem para que a minha velhice seja assim: tranquila, religiosa e fecunda. E também alegre”, apelou o papa Francisco numa missa para assinalar o seu 80º aniversário

O papa Francisco pediu este sábado uma velhice "tranquila e fecunda" numa missa em que celebrou o seu 80.º aniversário, pelo qual recebeu felicitações de milhares de fiéis e de autoridades de Itália e do mundo.

"Desde há alguns dias vem-me à mente uma palavra que parece feia: a velhice. Assusta, pelo menos. (...) 'A velhice é sede de sabedoria', esperemos que também para mim", afirmou Francisco durante a missa, celebrada perante 60 cardeais na Capela Paulina do Vaticano.

O papa explicou aos purpurados que a velhice "chega de repente", mas disse que, "quando se vê como uma etapa da vida para dar alegria, sabedoria e esperança, uma pessoa volta a viver".
"A velhice é tranquila e religiosa", afirmou, recorrendo ao verso do poeta alemão Friedrich Hölderlin.

"Rezem para que a minha seja assim: tranquila, religiosa e fecunda. E também alegre", apelou o pontífice.

Num encontro posterior com o movimento católico Comunidade de Nomadélfia, o papa recordou que "as crianças e os idosos contribuem para o futuro dos povos".

"As crianças, porque fazem avançar a história; os idosos, porque transmitem a experiência e a sabedoria da sua vida", disse Francisco.

Este 17 de dezembro está a ser um dia normal no Vaticano, onde não se celebram os aniversários, mas sim os dias onomásticos, mas ao mesmo tempo teve um caráter especial, sobretudo pela idade que o papa atinge, os 80 anos.

Francisco recebeu o afeto dos seus fiéis, começando por oito mendigos que ao início da manhã se deslocaram à sua residência, a Casa Santa Marta, para felicitá-lo e dar-lhe três ramos de girassóis.

O pontífice convidou-os a tomar o pequeno-almoço, conversou com eles e ofereceu-lhes alguns doces típicos argentinos.

Para assinalar o dia, nos refeitórios sociais de Roma serão distribuídos doces e nos albergues postais de Natal e um "pequeno presente".

A Secretaria de Comunicação do Vaticano lançou no Twitter a etiqueta #Pontifex80 e disponibilizou sete contas de correio eletrónico para receber as felicitações ao papa em diferentes línguas.

A Santa Sé informou que, até à manhã de sábado, recebeu mais de 50.000 mensagens para o pontífice procedentes de todo o mundo, dos quais mil estavam escritos em latim.

Francisco recebeu também felicitações de líderes políticos do mundo, como o Presidente cessante dos Estados Unidos, Barack Obama, que destacou o "inestimável apoio" de Francisco ao mediar as negociações com vista à normalização das relações com Cuba.

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, desejou ao papa saúde e êxitos e destacou a sua "frutífera atividade para promover elevados valores morais e espirituais e para ampliar o diálogo entre confissões e civilizações".

Jorge Mario Bergoglio nasceu a 17 de dezembro de 1936 em Buenos Aires, no seio de uma família de imigrantes italianos e, após licenciar-se em Ciências Químicas, optou pelos estudos eclesiásticos, entrando em 1958 no noviciado da Companhia de Jesus.

Em 1969 foi ordenado sacerdote, em 1973 provincial dos jesuítas da Argentina, em 1998 arcebispo de Buenos Aires e, em 2001, foi investido cardeal por João Paulo II.

Após a renúncia de Bento XVI, foi eleito papa no conclave de março de 2013, tornando-se o primeiro papa latino-americano.
Desde então converteu-se numa potente voz internacional a favor da paz, da fraternidade e da misericórdia, tema capital do seu ministério.