Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Manifestantes bloquearam Parlamento da Polónia

AGENCJA GAZETA/GETTY

Em causa estão protestos da oposição que acusa o partido do governo polaco de ter aprovado ilegalmente o Orçamento do Estado para 2017, assim como as novas regras de cobertura da imprensa

Centenas de manifestantes protestaram esta noite junto ao Parlamento da Polónia, bloqueando a saída de membros do governo e deputados do partido ultraconservador Lei e Justiça (PiS).

Vários deputados do PiS e a própria primeira-ministra Beata Szydlo só conseguiram abandonar o edifício já de madrugada, escoltados pelas autoridades. A polícia teve que recorrer a gás lacrimogéneo para afastar os manifestantes, refere a BBC.

Em causa estão protestos da oposição que acusa o partido do governo polaco de ter aprovado ilegalmente o Orçamento do Estado para 2017, assim como as novas regras de cobertura da imprensa que vão restringir o acesso de jornalistas no Parlamento já a partir de janeiro.

“O partido do governo pisou a linha vermelha e nada será igual. O Orçamento é ilegal e a liberdade de imprensa está em causa”, declarou o líder do maior partido da oposição Plataforma Cívica (PO), Tomasz Siemoniak.

Em resposta, o líder do PiS, Jaroslaw Kaczynski, acusou os manifestantes de “hooliganismo”, garantindo que o partido não se intimidará com este protesto. “O que a oposição fez é um escândalo. Nós só estamos a trabalhar”, afirmou Jaroslaw Kaczynski.

Este é o primeiro protesto junto ao Parlamento polaco em mais de 10 anos. Vários manifestantes envergaram cartazes a pedir “liberdade de imprensa” e fim da “censura”. “Esta restrição, primeiro que tudo não afeta só os jornalistas, mas o direito dos cidadãos a estarem totalmente informados sobre o que fazem as pessoas que elegeram para o Parlamento”, disse em comunicado a maior associação de jornalistas do país.

Entretanto, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, apelou à calma e ao respeito pela Constituição da Polónia.