Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Hillary Clinton diz que perdeu devido a ataque russo e e-mails

JONATHAN ERNST/ Reuters

Segundo uma gravação divulgada pelo “The New York Times”, Hillary Clinton perdeu as eleições, em parte, devido a “uma vingança” de Vladimir Putin. A democrata atribuiu o seu fracasso a “fatores sem precedentes”

A ex-candidata democrata à Casa Branca Hillary Clinton assegurou esta sexta-feira que perdeu as eleições presidenciais nos Estados Unidos devido a um ataque informático russo e à reabertura da polémica dos 'e-mails' pela polícia federal norte-americana (FBI).

Segundo uma gravação divulgada pelo “The New York Times”, Hillary Clinton, que perdeu as eleições para o republicano Donald Trump, disse que a sua derrota ficou a dever-se, em parte, a "uma vingança" do Presidente russo, Vladimir Putin, contra si.

Nas declarações, a democrata atribuiu o seu fracasso a "fatores sem precedentes", que, considerou, "não podem ser ignorados".

Hillary Clinton disse que a carta do diretor do FBI, James Comey, que reabriu a polémica da utilização indevida do seu 'e-mail' pessoal para tratar de assuntos internos do Estado enquanto era secretária de Estado, a uma semana das eleições, foi um dos fatores que modificou os votos em Estados-chave, incluindo a Flórida e a Carolina do Norte.

"Creio que isso fez diferença no resultado", salientou Hillary Clinton na gravação a que o jornal nova-iorquino teve acesso.

Outro fator que contribuiu para a sua derrota, segundo a ex-candidata, foi um "'complot' sem precedentes dos russos", algo que, disse, "deveria preocupar todos os norte-americanos".

Hillary Clinton assegurou que o ataque cibernético não foi só contra a sua campanha, mas "contra o país" e pediu uma investigação de fundo do Congresso, porque o "público necessita de saber o que se passou e para prevenir novos ataques".

Os Estados Unidos têm fortes indícios de que piratas informáticos russos se infiltraram no correio eletrónico pessoal da campanha de Hillary Clinton e do Partido Republicano com a intenção de expor a estratégia e supostos conflitos de interesses.