Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mil já conseguiram fugir, 50 mil estão encurralados: Alepo, cidade por salvar

KARAM AL-MASRI / AFP / Getty Images

Autocarros e ambulâncias integrados no primeiro grupo do plano de evacuação do leste de Alepo já saíram da cidade. Durante a viagem, ambulâncias da Cruz Vermelha foram alvo de disparos de um sniper que atingiu civis e membros de organizações humanitárias, causando um morto e vários feridos

951 pessoas, entre as quais mulheres, crianças e feridos, que integraram o primeiro grupo do plano de evacuação de leste de Alepo já saíram da cidade, segundo indicou uma fonte do regime sírio à agência Reuters.

Durante esta primeira viagem, uma pessoa morreu e diversos civis e membros de organizações humanitárias ficaram feridos ao terem sido baleados por um sniper, segundo referiram elementos da oposição ao regime de Bahsar al-Assad.

Ambulâncias da Cruz Vermelha foram alvo dos disparos. A organização humanitária síria Capacetes Brancos indicou no Twitter que um dos seus membros foi alvejado por um sniper afeto ao regime sírio.

Ativistas sírios indicaram anteriormente que os habitantes do leste de Alepo haviam começado finalmente a embarcar nos autocarros e ambulâncias que os iam retirar daquela zona da segunda maior cidade síria, que se encontra sitiada pelas forças apoiantes do regime de Bashar al-Assad.

As ambulâncias da Cruz Vermelha Internacional transportaram 200 feridos, alguns dos quais em estado crítico, referiu uma porta-voz da organização. A televisão estatal síria transmitiu também imagens que mostram os autocarros – que vão transportar civis e guerrilheiros, que pretendem escapar da zona prestes a ser conquista pelo regime sírio – a regressarem aos pontos de partida da evacuação.

A televisão síria indicou ainda que “quatro mil rebeldes e as suas famílias vão ser deslocados dos distritos de leste esta quinta-feira”, acrescentando que “todos os procedimentos para a sua saída estão a postos”.

O plano é que os autocarros os transportem até à cidade Khan Touman, controlada pelos rebeldes, situada a apenas oito quilómetros de distância.

Pelo menos 50 mil civis continuam encurralados no leste de Alepo, que os rebeldes ocupam e controlam desde 2012 e que estará presentes a ser tomada pelas forças afetas a Assad.

Estava acordado que a evacuação iria começar na madrugada desta quarta-feira, mas esse plano inicial não foi cumprido, tendo ocorrido o regresso temporário dos combates ao longo desse dia.