Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Um aparelho de streaming e um saco de pipocas: drone da Amazon faz entrega histórica em 13 minutos

NOAH BERGER / REUTERS

Empresa norte-americana anuncia primeira entrega com sucesso através do recurso a drones

Data de 2013 o primeiro anúncio da intenção da companhia de retalho Amazon começar a entregar encomendas com a ajuda de drones - aparelhos aéreos não tripulados. Esta quarta-feira, o CEO da empresa, Jeff Bezos, anunciou no Twitter que foi efetuada na semana passada "a primeira entrega" do serviço designado "Amazon Prime Air", em Cambridge, no Reino Unido. Um dispositivo de transmissão de televisão em streaming e um saco de pipocas foram os items entregues a um consumidor que vive perto do centro de testes.

Por altura desse primeiro anúncio feito no programa 60 minutos da CBS, a expectativa da empresa era começar o sistema de entregas em 2018. Para isso, desde o verão de 2015 que a Amazon tem realizado testes com drones na região de Cambridge, informação que foi dada a conhecer em novembro passado, devido a um pedido que reclamava liberdade de informação, escreve o jornal britânico "The Guardian". Na altura, a empresa convidou a Autoridade de Aviação Civil do Reino Unido para ver o primeiro teste do voo de um drone.

A Amazon pretende usar os drones para entregarem encomendas diretamente em casa das pessoas ou no seu local de trabalho em menos de 30 minutos. A companhia explica que os drones serão mais amigos do ambiente, mais baratos e mais seguros do que as carrinhas que atualmente dão conta do sistema de entregas.

No entanto, este sistema de entregas autónomas, que ainda está em teste, apenas contempla consumidores no Reino Unido que possuam grandes jardins, vivam perto de um armazém da Amazon e os produtos pesem menos de 2,6 quilos. Permitirá ainda que os clientes possam receber encomendas sete dias por semana, mas apenas durante o dia e só se as condições atmosféricas estiverem favoráveis.

Por enquanto, este sistema de teste apenas está disponível para dois clientes, mas a Amazon, citada pelo "The Guardian", expressa vontade de alargar o serviço a mais clientes nos próximos meses e escreve no seu site que pretende mesmo que se possa processar à escala mundial.

Além da Amazon, também a Google, através da sua empresa X, está a testar um sistema de entrega com drones, que designou “Project Wing”. Tem como objetivo principal levar encomendas a clientes que vivam em áreas rurais isoladas.