Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Putin eleito o homem mais poderoso do mundo pela “Forbes”

Etienne Oliveau/GETTY

O Presidente russo lidera a lista da revista norte-americana pelo quarto ano consecutivo

A revista “Forbes” considerou esta quarta-feira que o Presidente russo, Vladimir Putin, continua a ser o homem mais poderoso do mundo à frente de Donald Trump e Angela Merkel.

Com 64 anos, Putin lidera a lista da Forbes pelo quarto ano consecutivo.

"Do seu país natal até à Síria, passando pelas eleições presidenciais norte-americanas, o dirigente russo continua a alcançar os seus fins", considera a revista.

Sobre Donald Trump, que vai suceder no final de janeiro a Barack Obama na Casa Branca, "parece ser impermeável aos escândalos, tem as duas câmaras do Congresso a seu favor e uma fortuna pessoal de vários milhares de milhões", sublinha.

A chanceler alemã Angela Merkel, no poder há 11 anos e candidata a um novo mandato no outono, desceu uma posição em relação a 2015, surgindo no terceiro lugar.

Merkel é a primeira mulher da lista, que só conta três nos primeiros 20 lugares: Janet Yellen, governadora do Banco Central dos Estados Unidos, é a sexta e Theresa May, primeira-ministra britânica que conduz o 'Brexit' [saída do Reino Unido da UE], a 13.ª.

Atrás de Putin, Trump e Merkel surgem o presidente chinês, Xi Jinping, no quarto lugar e o papa Francisco em quinto.
Os dirigentes do setor privado mais bem colocados nesta lista de 74 personalidades são todos norte-americanos: Bill Gates, cofundador da Microsoft e maior fortuna mundial, é o primeiro, na sétima posição.

A posição seguinte é de Larry Page d'Alphabet (Google). Mark Zuckerberg (Facebook) aparece em 10.º lugar, Jeff Bezos (Amazon) em 14.º e o investidor Warren Buffett em 15.º.

Com 86 anos, Buffett é uma das pessoas mais velhas desta classificação, juntamente com o magnata de Hong Kong Li Ka-shing (88 anos, 33.o lugar) e o magnata dos 'media' australiano Rupert Murdoch (85 anos, 35.o).

O presidente do grupo petrolífero ExxonMobil Rex Tillerson, que Donald Trump escolheu para o cargo de secretário de Estado norte-americano, está em 24.º lugar, logo depois do presidente francês, François Hollande.