Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump diz que é “rídiculo” que Rússia o tenha ajudado a ganhar as eleições

Drew Angerer/GETTY

Relatório da CIA concluiu que a Rússia teve acesso a e-mails através de ataques informáticos e que o fez para beneficiar o candidato republicano

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, disse este domingo que "é rídiculo" que a Rússia o tenha ajudado a ganhar as eleições como concluiu a CIA num relatório divulgado sábado pelo Washington Post.

“Eu penso que é ridículo. É somente um pretexto. Eu não acredito”, disse ao canal de televisão Fox News. Aliás, para Trump, esse relatório da CIA que garante que “elementos próximos” do Governo da Rússia conseguiram obter milhares de e-mails do Comité Nacional do Partido Democrático através de ataques informáticos, é uma espécie de artimanha dos democratas por terem perdido as eleições.

“Eu penso que os democratas estão a impulsionar este assunto porque sofreram uma das maiores derrotas na história dos Estados Unidos", disse Donald Trump, que venceu a candidata democrata Hillary Clinton nas eleições Presidenciais dos Estados Unidos a 08 de novembro.

Contudo, até o senador republicano, John McCain, disse este domingo que Trump tinha de aceitar que a Rússia interferiu nas eleições. "Os factos estão lá", disse numa entrevista à CBS, citado pela Reuters.

Mas Trump não aceita. “Se lerem esta informação, existe uma grande confusão. Ninguém realmente sabe [o que aconteceu]. Poderia ser a Rússia, poderia ser a China, poderia ser alguém sentado numa cama em qualquer lugar", disse Donald Trump, acrescentando que "eles não sabem".

O Presidente eleito não só contradiz as duas maiores agências de inteligência e segurança do país, a CIA e o FBI, como disse na mesma ocasião que vai nomear "pessoas diferentes" para as liderar. Contudo, reiterou que tem "grande respeito" por aqueles que já trabalham lá.