Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Atentados de Istambul fizeram 44 mortos

OSMAN ORSAL/REUTERS

Entre as vítimas mortais do duplo-atentado de contam-se 36 polícias. Mais de 150 feridos continuam hospitalizados

O número de mortos no duplo atentado no sábado à noite, em Istambul, subiu para 44, declarou hoje o ministro da Saúde turco, Recep Akdag.

Entre as vítimas mortais contam-se 36 polícias. Mais de 150 feridos continuam hospitalizados.
No sábado à noite, um veículo armadilhado explodiu junto ao estádio do clube de futebol Besiktas, duas horas depois de um jogo entre a equipa local e o Bursaspor.

Quase um minuto depois, um bombista suicida fez-se explodir, entre um grupo de polícias, no parque Maçka, muito próximo do estádio.

O vice-primeiro-ministro, Numan Kurtulmus, afirmou que foram usados “entre 300 e 400 quilogramas de explosivos” no ataque, noticiou o jornal da oposição BirGun.

O grupo armado Falcões da Liberdade do Curdistão (TAK), uma cisão do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, ilegalizado na Turquia), reivindicou a autoria do atentado.
O ataque "foi realizado com grande precisão" por dois membros da organização, afirmou o TAK em comunicado, garantindo que “mais de 100 polícias” foram mortos.

A agência noticiosa semipública Anadolu informou terem sido detidos cerca de 200 membros do Partido Democrático dos Povos (HDP), pró-curdo e de esquerda, sob várias acusações.

Notícia atualizada às 11h10