Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Turquia decreta um dia de luto nacional por duplo atentado em Istambul

MURAD SEZER/REUTERS

Os ataques que ainda não foram reivindicados aconteceram este sábado depois do jogo entre o Besiktas e o Bursaspor

A Turquia declarou este domingo dia de luto nacional depois do duplo atentado em Istambul no sábado à noite, que matou 38 pessoas, 30 dos quais polícias, e feriu mais de 150 pessoas.

O primeiro-ministro, Binali Yildirim, ordenou também que as bandeiras permaneçam a meia-haste.

Segundo o ministro do Interior, Süleyman Soylu, dez pessoas foram detidas por suspeita de ligação a estes ataques, que ainda não foram reinvindicados.

As autoridades suspeitam do envolvimento de separatistas curdos do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) que já atacaram polícias noutras ocasiões.

A primeira explosão ocorreu junto ao estádio do clube de futebol Besiktas, com recurso a um carro armadilhado, e a segunda, provocada por um bombista-suicida, deu-se num parque próximo do estádio.

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, considerou, em comunicado, que por terem acontecido pouco depois do fim do jogo entre o Besiktas e o Bursaspor, as explosões tinham como objetivo atingir o maior número de vítimas possível.

O Presidente da Turquia defendeu que “o nome ou o método da organização terrorista que levou a cabo o ataque” não interessa.

“Ninguém deve duvidar de que vamos derrotar o terrorismo, os grupos terroristas, os terroristas e, claro, as forças por trás deles, com a ajuda de Deus”, afirmou.

Segundo as autoridades turcas, o carro, “cheio de explosivos”, foi detonado no local onde estava a polícia de intervenção, já depois de os adeptos terem dispersado, no fim do jogo.

[Notícia atualizada às 9h]

  • Turquia: Explosões junto ao estádio do Besiktas fazem dezenas de feridos e mortos

    Duas horas antes, o Besiktas tinha recebido o Bursaspor em casa. Meios de comunicação internacionais dão conta de pelo menos 13 vítimas mortais, na sua maioria polícias, mas a informação não foi confirmada pelas autoridades. Ataque teve como alvo agentes da polícia. Explosão foi “muito forte e ouvida em vários pontos da cidade”, descreve José Pedro Tavares, correspondente do Expresso. Embaixadas foram avisadas ontem sobre o facto de estarem a ser planeados ataques nas grandes cidades turcas