Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Bolívia quer que Brasil extradite controladora área que autorizou voo da Chapecoense

DOUGLAS MAGNO/GETTY

Celia Monasterio alega que foi para o Brasil para fornecer informações às autoridades sobre a queda do avião na Colômbia que causou a morte de 71 pessoas. A Globo noticiou que pretende obter asilo político. O ministro do Interior boliviano diz contudo que ela saiu ilegamente do seu país e exige que seja extraditada a fim de ser julgada

O governo da Bolívia exige que o Brasil extradite a controladora aérea, Celia Castedo Monasterio, que autorizou o voo que caiu na Colômbia causando 71 mortos, entre os quais quase toda a equipa de futebol brasileira do Chapecoense e os seus acompanhantes.

Celia Monasterio chegou com o seu advogadoesta terça-feira ao Brasil, referindo que a sua deslocação se deveu a fornecer informações às autoridades brasileiras sobre o acidente. A Globo noticiou que entregou entretanto um pedido de asílo.

“Não há qualquer argumento para justificar um pedido de asílo”, afirmou o ministro do Interior boliviano, Carlos Romero.

“Logicamente, num caso como este deve haver uma expulsão automática”, acrescentou.O ministro referiu que a controladora aérea abandonou o país ilegalmente, numa tentativa de fugir à Justiça, pois estava a ser procurada no âmbito da investigação sobre o acidente ocorrido de 28 de novembro.