Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mesmo os que fumam menos de um cigarro por dia têm bastante maior probabilidade de morte precoce

Rui Duarte Silva

“Não há um nível seguro de exposição ao fumo do tabaco”, afirma o autor do estudo que tem por base dados relativos a cerca de 290 mil pessoas

Há novos dados relativos ao consumo de tabaco e os seus efeitos maléficos para a saúde, ainda que em doses muito reduzidas. Pessoas que fumam um cigarro por dia ou até menos do que isso, em média e de forma consistente, têm mesmo assim mais 64% de probabilidades de morte precoce comparativamente com os que nunca fumaram; e essa probabilidade aumenta para 87% no caso daqueles que fumam entre um a dez cigarros por dia, refere um estudo divulgado na publicação cientifica “JAMA Internal Medicine”.

Os dados indicam também que aqueles que fumam menos do que um cigarro têm nove vezes mais risco de morrerem de cancro do pulmão, subindo para 12 vezes no caso dos que fumam entre um e dez cigarros.

Baseado em dados relativos a 290 mil norte-americanos, com entre 59 e 82 anos, o estudo mostra que os riscos do tabaco são bastante elevados, mesmo nos casos de quem fuma muito pouco. A maior parte dos que indicaram fumar menos de um cigarro por dia haviam, contudo, fumado mais anteriormente.

“Os resultados deste estudo apoiam os avisos de saúde que indicam que não há um nível seguro de exposição ao fumo do tabaco”, referiu Maki Inoue-Choi, principal autor da investigação.

Cerca de cinco milhões de pessoas morrem por ano devido ao tabaco, mais do que as mortes por acidentes de viação, HIV e suicídio somadas, segundo referem dados da Organização Mundial de Saúde.