Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Merkel diz que decisão dos italianos tem que ser respeitada

Alexander Koerner/GETTY

Chanceler alemã lamenta a demissão de Renzi e manifesta-se disposta a trabalhar estreitamente com o próximo governo de Itália

A chanceler alemã, Angela Merkel, "toma nota e lamenta" a demissão do primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, após a derrota no referendo constitucional de domingo, afirmou esta segunda-feira o porta-voz da chefe do governo germânico.
Falando à imprensa em Berlim, Steffen Seibert disse que Merkel "trabalhou muito bem e com confiança" com o homólogo italiano, "mas que o curso da decisão democrática dos cidadãos italianos tem de ser respeitado".

O porta-voz referiu ainda que, no passado, a chanceler alemã apoiou o esforço para fazer reformas de Matteo Renzi e está disposta a trabalhar estreitamente com o próximo governo de Itália.

O ministro das Finança alemão, Wolfgang Schäuble, apelou por seu lado à calma em relação ao resultado do referendo - em que o "não" venceu com 59,5 por cento, contra 40,05% para o "sim" - e assegurou que não há razão para afirmar que ele vai desencadear uma "crise do euro".

Schäuble, que falava à chegada para uma reunião de ministros da zona euro em Bruxelas, considerou que a Itália precisa de um governo capaz de agir e disse esperar que continue a aplicar as reformas necessárias, apesar do resultado do referendo.
"Penso que devemos tomar nota disto com calma. Os italianos decidiram, temos de respeitar isso", disse.