Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Extrema-direita perde eleições na Áustria

Alex Domanski/Getty

As últimas projecções dão a vitória ao candidato ecologista, Alexander Van der Bellen, com 53,6% dos votos contra 46,4% de Hofer, o candidato da extrema-direita

Norbert Hofer, o candidato do partido de extrema-direita austríaco de 45 anos, foi derrotado nas eleições presidenciais deste domingo, ao contrário do que estimavam as últimas sete sondagens realizadas no país.

"Queridos amigos! Agradeço-vos. Vocês apoiaram-me de uma forma magnífica e estou infinitamente triste por não ter resultado. Teria gostado de tomar conta da nossa Áustria. Felicito Alexander Van der Bellen pelo seu sucesso e peço a todos os austríacos que se mantenham unidos e trabalhem juntos. Somos todos austríacos, independentemente de em quem votamos. Viva a nossa pátria Áustria. O vosso, Norbert Hofer", escreveu na sua conta do Facebook esta tarde.

Já antes, o secretário-geral do Partido da Liberdade (FPÖ), Herbert Kickl, disse à televisão pública, citado pela Lusa: "Desejo felicitar Van der Bellen por este sucesso”.

O candidato do partido ecologista, Alexander Van der Bellen, de 72 anos, é assim o vencedor e próximo presidente da Áustria, angariando 53,3% dos votos contra os 46,7% de Hofer, isto segundo as projeções mais recentes avançadas pela Reuters.

"Um sinal de esperança e de mudança positiva está a ser enviado de Viena para toda a Europa. Serei um presidente pró-europeu da Áustria, aberto ao mundo, disse no seu discurso de vitória, citado pelo Reuters.

A vitória de Bellen é, para muitos dirigentes europeus, considerada um alívio, principalmente face ao crescente apoio que os partidos de extrema-direta têm recebido na Europa.

“O povo austríaco estendeu a mão à Europa e a uma política de abertura”, disse Presidente francês, o socialista François Hollande, numa mensagem divulgada pela Presidência da República francesa, citada pela Lusa. Também a França está a braços com a possibilidade de eleger um candidato de extrema-direita, neste caso Marine Le Pen.

Também o presidente do Conselho Europeu se congratulou-se com vitória do ecologista Alexander Van der Bellen. "É um prazer felicitá-lo pela sua eleição (...) Em nome da União Europeia, e pessoalmente, apresento os meus votos de êxito", declarou Donald Tusk, em comunicado, tamém citado pela Lusa.

E o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, saudou o resultado das presidenciais austríacas como uma "pesada derrota do nacionalismo e do populismo anti-europeu".

Marcelo comenta

“Quero dirigir a Alexander Van der Bellen, hoje eleito novo Presidente Federal da República da Áustria, em nome do povo português e no meu próprio, as mais calorosas felicitações e votos de sucesso para o exercício das nobres funções que o povo austríaco lhe acaba de confiar”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, numa mensagem publicada esta noite na página oficial da Presidência da República.

“Estou certo que, enquanto chefes de Estado de dois países que partilham os mesmos valores democráticos e europeus, saberemos reforçar os laços de amizade e de cooperação que unem a Áustria a Portugal, procurando encontrar novas oportunidades para se desenvolverem e aprofundarem no domínio bilateral, no quadro da União Europeia ou mesmo no âmbito do Grupo de Arraiolos, de que ambos fazemos parte”, acrescentou.