Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

FARC pedem desculpa às famílias de 11 deputados sequestrados e mortos em Cali

Os negociadores do acordo de paz, Humberto de la Calle (Colombia) e Ivan Marquez (FARC), sábado, 12 de novembro, em Cuba

ENRIQUE DE LA OSA/REUTERS

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) pediram hoje desculpa às famílias dos 11 deputados do departamento de Valle del Cauca, em Cali, que foram sequestrados em 2002 e mortos cinco anos depois.

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) pediram hoje desculpa às famílias dos 11 deputados do departamento de Valle del Cauca, em Cali, que foram sequestrados em 2002 e mortos cinco anos depois.

Na sexta-feira, houve um primeiro encontro entre representantes da guerrilha e os familiares das vítimas para ultimar os detalhes da cerimónia de hoje, de acordo com a Efe.

Doze deputados de Valle del Cauca foram sequestrados em Cali, na Colômbia, a 11 de abril de 2002, por um grupo de guerrilheiros.
Os políticos estiveram cinco anos em cativeiro até que, a 28 de junho de 2007, as FARC anunciaram que 11 deles tinham morrido numa ação de "fogo cruzado", tendo apenas sobrevivido Sigifredo López.

Dois anos depois, a 05 de fevereiro de 2009, as FARC libertaram López, que fará hoje uma declaração à imprensa, após este pedido de desculpa.

O evento terá lugar na igreja de San Francisco, a um quarteirão da sede da Assembleia de Valle del Cauca, onde ocorreu o sequestro, e será presidido pelo arcebispo de Cali.

Além de Sigifredo López, dos familiares dos seus colegas assassinados e dos representantes das FARC, vão também estar presentes o Alto-Comissário da Paz, Sergio Jaramillo, o ministro colombiano do Interior, Juan Fernando Cristo, e o diretor da Unidade de Vítimas e ex-governador do departamento de Meta, Alan Jara.